Microsoft inicia processos de layoff em várias produtoras

9

Apesar de apostar na aquisição de estúdios e das várias projecções positivas, a produção de jogos da Microsoft não está tão bem como se julga. Espera-se a extinção de cerca de milhares de postos de trabalho.

Segundo o site Bloomberg, até Março deste ano, a Microsoft espera eliminar 10.000 posições em vários estúdios de produção interna, com layoffs a atingir a 343 Industries (Halo), The Coalition (Gears of War) e até os Bethesda Game Studios (Starfield).

Apesar destes layoffs serem pontuais e baseados em redundâncias do momento, é bem possível que afectem a produção de alguns projectos, como o muito esperado Starfield, ainda sem data fixa de lançamento. Também a The Coalition está com “algo novo” em mãos, trabalhando na próxima versão de Gears. Só mesmo a 343 parece estar numa fase descendente, com Halo: Infinite a cair em popularidade, muito longe do “jogo como serviço” que estava previsto, com entregas muito lentas de conteúdo e falta de paciência dos fãs.

Esta redução no staff enquadra-se nas palavras do CEO Satya Nadella que menciona uma redução de cerca de 5% da força laboral desta divisão, dos cerca de 220.000 funcionários estimados. Depois de vários meses a alargar equipas via contratações, por causa da pandemia e do crescimento na busca por entretenimento, agora há um claro risco de recessão e é óbvia a necessidade de reduzir gastos em ordenados.

Não será de estranhar possíveis adiamentos de lançamentos ou até cancelamentos de futuros títulos ou de conteúdo adicional para jogos já existentes. É um momento muito delicado para este tipo de notícia, especialmente nas vésperas de um novo showcase de jogos. Espera-se, mesmo assim, um 2023 positivo para a Xbox, que bem precisa de títulos sonantes de produção interna, sejam franquias conhecidas ou novos IPs.