CD Projekt Red adquire estúdio e fala do seu futuro

54

Têm sido dias atribulados para a produtora e editora polaca CD Projekt Red. Apesar de gozar de boa fama (e proveito) na série The Witcher e Gwent, o recente lançamento falhado de Cyberpunk 2077 deitou por terra muitos dos esforços. Mas, isso não significa que a empresa baixe os braços.

Depois de uma avalanche de má publicidade e até de processos em tribunal e um ataque informático, há que recuperar e pensar no que está no horizonte. Para isso, nada como expandir a empresa, anunciando novos projectos e ideias para os próximos meses. A empresa falou publicamente (especialmente aos investidores) por intermédio do Presidente Adam Kicinski, num vídeo que tenta detalhar os principais aspectos da sua estratégia. Resumimos mais abaixo os pontos mais importantes deste vídeo.

Começando pela nova aquisição. A produtora Canadiana Digital Scapes acaba de se juntar ao grupo CDPR, um estúdio que já trabalhava com a produtora nos últimos três anos, ajudando mesmo na produção de Cyberpunk 2077. No portfólio, o estúdio ajudou na produção de outros jogos conhecidos, como Dead Rising, Mass Effect ou Dying Light. O estúdio passa agora a chamar-se CD Projekt RED Vancouver e junta-se às demais equipas de Varsóvia, Cracóvia e Breslávia, estes três localizadas na Polónia.

Esta expansão fará parte de um plano ambicioso para os próximos meses. Além de planear corrigir e melhorar Cyberpunk 2077, a CDPR planeia também lançar a prometida actualização de The Witcher III: Wild Hunt nas consolas PlayStation 5 e Xbox Series X|S. Ao que tudo indica, estas novas versões do lendário RPG chegarão ainda neste ano, mais precisamente na segunda metade de 2021.

Por outro lado, a CDPR não se pode ficar apenas pelos IPs já conhecidos. O plano é óbvio: criar mais jogos AAA nos próximos meses e anos. Contudo a estratégia será um pouco diferente, claramente aprendendo dos erros de Cyberpunk 2077. Agora, os jogos terão campanhas de marketing mais curtas e mais próximas do lançamento dos jogos. A produtora também demonstrou interesse em ir além dos Role Play Games, possivelmente apostando mais noutros géneros de jogos.

Noutros lados, o famoso RED Engine, o motor de criação de jogos, proprietário da CDPR será aperfeiçoado e a própria produção será organizada para ajudar na sua evolução, combinando especializações e competências em várias áreas. Obviamente, o RED Engine é muito importante para a criação de mais e melhores títulos. Outra área técnica de importância para a CDPR é o online, com especial destaque para a sua plataforma e loja GOG.com.