Vencedores do Passatempo Dying Light

1318

Que participações tivemos nós. Algumas bastante inspiradas, outras muito filosóficas e até algumas ameaçadoras! Gostávamos muito de ter centenas de jogos Dying Light para dar aos nossos participantes, mas neste Passatempo só tínhamos três. Eis os felizes contemplados!

Antes de mais, vamos só esclarecer as respostas que deviam ser dadas. Infelizmente, nem toda a gente acertou às perguntas feitas. Até nem era difícil, já que uma leitura atenta à nossa análise do jogo, tinha dado todas as respostas:

Que nome é dado aos zombies com habilidades especiais que nos caçam à noite?

Resposta – Demos dois nomes na análise, uma vez que também no jogo possuem esses dois nomes. Nightmare é o nome popular dado pelas personagens nos diálogos do enredo ou Night Hunter que é o nome dado pelo próprio jogo e no modo Be a Zombie.

Diz um dos jogos de terceiros em que Dying Light claramente se inspira.

Resposta – São vários mas os que mencionamos e que são claras referências para a produção são o Dead Island que a Techland produziu anteriormente e o Mirror’s Edge da DICE. Bastava só um deles.

Segundo a nossa análise, o que é que J.J. Abrams iria adorar neste jogo?

Resposta – O famoso realizador é conhecido pelos efeitos especiais nos seus filmes de sucesso. Mas é mais conhecido na crítica do mundo do cinema por adorar os efeitos ópticos de Lens Flare, tal como Michael Bay adora explosões. Neste jogo, J.J. Abrams estava em casa.

E depois vieram as pequenas composições que desempataram as centenas de participações que tivemos. Acreditem que não foi fácil e fomos colocando de lado as mais criativas para uma discussão que nos ocupou um bom bocado. No final, a decisão até foi quase unânime.

Parabéns, antes de mais, a todos. Haviam composições realmente fantásticas e hilariantes.

A Carla Martins tem instintos violentos e fala em usar “barrotes ou ferros” para desancar zombies, enquanto salta paredes e mesmo telhados. Valente! Diz ela que “nenhum local era seguro e nenhuma hora sossegada” e acrescentou que “nenhum zombie estava a salvo”. Agora tu e a noite já podem “ser um” na tua Xbox One.

O José Duarte, disse que “trepar telhados está no seu sangue”. Ficámos assustados com a sua arma anti-zombie baseada numa “vassoura trituradora de crânios”. E antes que ele viesse a correr com a dita vassoura e com os “Expendables em modo rage”, demos-lhe um jogo para Playstation 4!

Por último, literalmente porque foi mesmo a última participação às 11:42 de hoje, cerca de 18 minutos de terminar o passatempo, a Cátia Teixeira foi pela positiva com um simpático poema que diz que além do marido “ganhar o dia” e o trabalho “ganhar alegria”“a familia WASD e ela ganham mais cor”. Agora a redacção WASD exige que “retribuas esse amor” desancado zombies na Xbox One, combinado?

Fiquem atentos a mais passatempos do WASD. Obrigado aos participantes, aos vencedores e aos que partilharam o passatempo. Agora vamos ali a Harram continuar a salvar o mundo. Até já!