Xbox Series X não terá exclusivos no seu arranque

49

Dada a famosa falta de reais exclusivos aquando do lançamento da anterior Xbox One X, a próxima geração Xbox Series X poderá repetir esta estratégia. E a Microsoft explicou que essa realidade pode durar cerca de um ano, tudo por culpa das actuais plataformas Xbox.

Qualquer consola que se preze, tem de se fazer acompanhar de jogos que a façam mostrar tudo o que têm para dar. O que seria da primeira Xbox sem o primeiro Halo, por exemplo? Acontece que, apesar da original Xbox One ter recebido diversos jogos de showcase com grande qualidade, dedicados e exclusivos, aquando do seu lançamento, o mesmo não aconteceu com a Xbox One X, então a consola “mais poderosa de sempre”.

Esta realidade não se alterou muito nos meses seguintes, mesmo com consequentes lançamentos de terceiros e uns poucos exclusivos a darem boas demonstrações das capacidades do hardware (como Gears 5, por exemplo). De facto, a Xbox One X foi (e é ainda) a consola mais poderosa do seu tempo, mas a única forma de o constatar é comparando versões dos jogos entre a Xbox One, Xbox One X e o PC (e com a concorrência), com muito poucos jogos a merecerem real destaque, mesmo os chamados “Xbox One X Enhanced”.

Matt Booty, chefe do Xbox Game Studio, não trouxe boas notícias para quem esperava algum “colosso técnico” a estrear com a próxima geração. Basicamente, confirmou que a próxima Xbox Series X, também já descrita como “a mais poderosa de sempre” (o mesmo cliché, bem sabemos), também não terá jogos realmente exclusivos no seu lançamento. Booty adiantou ainda que essa “seca” de exclusivos da plataforma poderá demorar largos meses, “cerca de um ou dois anos”, até que surjam os primeiros exclusivos desta consola.

E a culpa, ao que parece, é das actuais consolas da marca. “Queremos garantir que alguém que invista na Xbox agora ou na Series X sinta que faz um bom investimento”, disse Booty. A estratégia, segundo produtor, é que todo o conteúdo “oscile entre a família de dispositivos”, dando a entender que o suporte à actual Xbox One (e XB1 X) não terminará, com novos jogos a surgirem também para esta geração.

Por outras palavras, nada de reais exclusivos para a Xbox Series X. Todos os jogos “in house” da Microsoft (e a maioria dos títulos de terceiros) que sejam lançados nesta consola, também o serão para a Xbox One, PC e xCloud. Jogos que “tirem verdadeiro proveito de todas as características”, acrescentou Booty, surgirão de “um foco em um ou dois IPs no lançamento” (Arriscamos uma previsão: Halo: Infinite e Hellblade 2). O que significa que teremos títulos “Xbox Series X Enhanced” (ou outro chavão qualquer) mas serão criados com base das limitações da actual geração.

Obviamente, esta estratégia faz-nos questionar sobre o real valor do investimento na próxima Xbox Series X. Não está em sintonia com os milhões investidos na aquisição de estúdios, como a inXile Entertainment, a Obsidian, a Ninja Theory e tantos outros. Ao que parece, os DevKits da Series X já estarão nas mãos dos produtores desde meados do ano passado. Talvez até antes. Parece-nos um tanto diminuidor do potencial deste lote criativo falar em “um a dois anos” de produção até que algo surja para “romper barreiras”.

Por outro lado, estas são óptimas notícias para quem investiu (ou ainda vai investir) nesta actual geração Xbox. Com esta visão da Microsoft, as actuais Xbox One, Xbox One S e Xbox One X continuarão a sua vida, bem além do lançamento da nova consola, anunciado para algures no final de 2020, na época das Festividades.

Do outro lado da barricada, porém, esta lógica não é seguida. A Sony já confirmou pelo menos um título exclusivo da PlayStation 5 (Godfall) e é bem possível que mais jogos sejam anunciados até ao seu lançamento. Afinal, todas as consolas nas gerações anteriores tiveram sempre exclusivos da nova plataforma e modelo no lançamento. Recordamos ainda, sem surpresas, que há mesmo jogos que fazem vender consolas.