Ubisoft termina produção em Ghost Recon: Breakpoint

26

Dizer que este jogo teve um lançamento atribulado é um eufemismo. Ainda hoje, Ghost Recon: Breakpoint é um pouco difícil de defender. A Ubisoft bem se esforçou mas é altura de o “guardar na prateleira”.

Olhando para a nossa análise original, dissemos que “a Ubisoft quis aglomerar toda a sua experiência noutras franquias num só local e acabou por exacerbar os seus maiores problemas”. Falta de elementos da IA, uma jogabilidade entediante, enormidade de um mapa algo vazio e tantos outros detalhes, deixaram os fãs desapontados.

Durante meses, a Ubisoft lançou correcções, expansões de conteúdo, passes para amigos, trials gratuitas (e até NFTs), numa tentativa de chamar de volta os jogadores. Contudo, desde Outubro do ano passado que terminaram as expansões de conteúdo e apenas estavam a ser lançadas actualizações com correcções e ajustes. Até hoje.

“Os últimos quatro meses marcaram o lançamento da nossa última leva de conteúdo”, diz o comunicado da produtora e editora Francesa. “Vamos manter os servidores para Ghost Recon Wildlands e Ghost Recon: Breakpoint”, continua, “esperamos que continuem a desfrutar do jogo e a divertir-se a jogar a solo ou em modo cooperativo com os amigos”.

Assim, todo o trabalho de produção neste título foi terminado, não se prevendo mais nenhuma adição ou alteração no futuro. Se pensarmos bem, não é um ciclo de vida descabido, com um jogo lançado em 2019. A questão aqui é que havia uma clara ambição da Ubi em criar neste título uma espécie de “jogo como serviço” como o fez noutras franquias. Além disso, nestes quase três anos de vida, não conseguiu mesmo (re)conquistar os jogadores.