Ubisoft anuncia Tom Clancy’s The Division 3

the_division_conflict_1point2-1-600×309

Sem qualquer tipo de grande evento ou um vídeo muito elaborado, a Ubisoft anunciou Tom Clancy’s The Division 3 de forma algo casual. Outrora um êxito, agora parece um projecto paralelo secundário.

Numa altura em que o primeiro Destiny da Bungie criou um fenómeno de popularidade, entre outras tentativas, o primeiro The Division foi uma resposta quase, quase à altura, sendo muitas vezes intitulado (injustamente) como um “Destiny-killer”. A par de outras franquias da sua propriedade, The Division foi uma das séries “core” da Ubisoft, com um investimento considerável de recursos na produtora e editora Francesa.

Avancemos uns anos e, de facto, o primeiro jogo não chegou a ser tudo o que prometeu, nem sequer a sua sequela o conseguiu. Aliás, a dada altura notou-se uma clara redução no investimento e no interesse nesta marca, ao ponto de nem sequer merecer uma actualização para as mais recentes consolas. Afinal, inexplicavelmente, o spin off The Division: Heartland ainda hoje está para ser lançado.

Por isso, não nos surpreende a forma como a Ubi anunciou este terceiro jogo. O anúncio foi feito de forma quase irrelevante, uma menção numa nota à imprensa em que foi apresentado um novo produtor executivo para a franquia, Julian Gerighty.

Na nota, Gerighty é apontado como novo líder de produção da The Division Brand na Massive Entertainment, logo que termine o seu trabalho em Star Wars: Outlaws. E lá no meio do texto, jeitosamente a Ubi diz que o produtor “está a colocar atenção em Tom Clancy’s The Division 3”, além dos já conhecidos The Division: Heartland e The Division: Resurgence, este último para mobile.

E é tudo. Nada de imagens, vídeos ou sequer uns meros logótipos. Estamos longe do tempo daqueles trailers excessivamente elaborados que a Ubi gostava de presentear os fãs. Os tempos são, de facto, outros na empresa de Yves Guillemot. Os novos anúncios são efémeros e os projectos não são tratados com o “espalhafato” que estávamos habituados a ver. Será melhor assim? Pelo menos as expectativas não se elevam tanto.

Comentários

Comentários