Também S.T.A.L.K.E.R 2 terá aposta nos NFTs

51

A produção de S.T.A.L.K.E.R 2 – Heart of Chernobyl também irá apostar na introdução de NFTs no seu jogo. Depois da Ubisoft abrir caminho, agora é só uma questão de tempo para a “febre” pegar.

Tal como o que a Ubi fez, em S.T.A.L.K.E.R 2 também teremos itens únicos que os jogadores poderão adquirir como sua propriedade digital e que terão valorização em criptomoedas, comercializáveis na plataforma DMarket. Esta plataforma já deve ser conhecida de muitos, uma vez que já possui um mercado de compra e venda de itens para jogos como CS:GO.

O primeiro “drop” em Janeiro dá a oportunidade aos jogadores de se poderem tornar o que a produtora GSC Game World chama de “metahumanos”. Basicamente, podem ser digitalizados para se tornarem numa personagem NPC no mundo do jogo, como um “barman, camarada ou um inimigo”. A segunda adição surge em Fevereiro, com um pacote chamado Genesis, cujos detalhes serão dados mais tarde mas que, promete a produção, serão somente cosméticos.

Tal como aconteceu com o anúncio da Ubisoft, que gerou milhares de comentários negativos, obrigando mesmo a Ubi a remover um vídeo de anúncio, também a GSC recebeu a sua dose de reacções menos positivas. A tal ponto que foi obrigada a esclarecer que o jogo não será exclusivamente um jogo “blockchain” e que todos estes itens são inteiramente opcionais.

A reacção geral aos NFTs é a ainda mista e com boas razões. Muitos consideram estas iniciativas como oportunismo, uma vez que os itens são gerados com um valor absolutamente arbitrário na esperança que se valorizem por pura especulação. Embora sejam, de facto, opcionais, há aqui um claro aproveitamento do momento para ganhar um “dinheiro extra”. Seja como for, não parece que os NFTs vão desaparecer tão depressa, pelo contrário.

S.T.A.L.K.E.R. 2 – Heart of Chernobyl será lançado a 28 de Abril do próximo ano. Será um exclusivo temporário para Xbox Series X|S e PC, sendo também lançado no Xbox Game Pass no mesmo dia.