Star Citizen simula tecido de lençóis

28

Estivemos na dúvida se deveríamos dar a este artigo o título de “insólito”. É só mais uma entrada na longa história de como a Cloud Imperium protela, reorienta e confunde o desenvolvimento de Star Citizen.

Se há algo que, ao longo da história dos videojogos, nunca vimos alguém pedir foi uma “simulação credível de lençóis em camas”. Admiramos sempre as proezas técnicas, como a simulação de tecidos, claro. Mas, quando um jogo está em desenvolvimento há décadas e já arrecadou 450 milhões de dólares em angariação de fundos sem produzir um jogo final, tem que haver outras prioridades.

Numa comunicação de produção (mais uma), Roberts e companhia informam que estão em busca de reproduzir de forma realista como os lençóis e cobertores nas camas do jogo se amachucam. Isto porque no modo de carreira Squadron 42, existe uma componente de descanso e sono para as personagens da IA. E ninguém quer ver uma personagem sintética a deitar-se em lençóis estáticos, certo? Esta é “a fidelidade que se espera de Sq. 42”, segundo a produção.

Soa a piada e com certeza alguns jogadores consultaram o calendário para confirmar que o 1º de Abril já passou. Basta passar pelo sub-reddit do jogo para perceber que os jogadores (e contribuidores) não entendem porque é que este tipo de itens tem de merecer tanta atenção da produção (logo no topo do comunicado), contribuindo para a eterna dúvida em torno da seriedade deste projecto.

O sentimento é que este tipo de simulações pode ser interessante para mostrar o nível de detalhe, sim, mas há tantos outros aspectos a precisar de atenção, que soa mal que seja uma prioridade. Nesta última nota de produção, há detalhes para novas animações faciais e captura de movimentos adicionados ao jogo, isso sim bem mais relevante, mas que surgem em segundo plano.

É por causa destas decisões que rapidamente surgem os eternos memes e o sentimento que o jogo dificilmente terá uma versão final tão cedo (se é que alguma vez terá). A CI, mais precisamente o seu CEO Chris Roberts, estão sempre a buscar “mais qualquer coisa”, nem sempre algo realmente relevante. Fica sempre a sensação de dispersão da atenção da produção e até que são itens para justificar os eternos adiamentos de uma possível data de lançamento. Enquanto a angariação de fundos factura, para quê lançar o jogo?