Squadron 42 de Star Citizen ainda está muito longe

119

Não é que seja algo surpreendente. Sempre que falamos de Star Citizen e Squadron 42, parece que esse jogo e expansão nunca mais estão “perto” do lançamento. Há, contudo, sempre alguma ironia quando Chris Roberts tenta justificar mais um retrocesso.

A expansão Squadron 42 é a campanha a solo de Star Citizen, muitas vezes anunciada como um produto individual mas sempre associada ao “sempre em desenvolvimento” MMORPG espacial da Cloud Imperium. Embora Star Citizen nunca tivesse uma data em concreto para ser lançado, Squadron 42 esteve anunciado para chegar algures em 2016. Depois, foi obviamente adiado várias vezes, a última vez em 2018, com a CI a protelar constantemente alguma possível data.

Eventualmente a produção deixou de avançar datas, essencialmente porque nunca as conseguiu cumprir. Chris Roberts chegou mesmo a dizer que a campanha “ficará pronta, quando ficar pronta“. O que para os milhares de investidores no projecto de crowdfunding que já angariou mais de 300 milhões de dólares, não parece uma resposta à altura.

Ora, há mais uma “facada” na confiança dos fãs e investidores. Em mais um dos vários artigos de “progresso” feito no projecto, Chris voltou a assinar um enorme texto, cheio de imensos pormenores que alegadamente estarão em produção no universo Star Citizen. E, a dada altura, lá está a parte que confirma o que já todos suspeitavam e que envia Squadron 42 para os “confins do universo”… outra vez.

Chris diz que decidiu “que é melhor não mostrar a jogabilidade de Squadron 42 publicamente” ou “discutir uma data de lançamento” até que estejam “perto da meta final” e tenham “confiança no tempo que resta para terminar o jogo”. O que é o mesmo que dizer que este modo de jogo, tal como o título base, está bem longe de ser lançado.

O hype em volta deste modo de carreira foi criado pela própria Cloud Imperium. Recordamos que o jogo teve trailers fantásticos onde figuram um leque de estrelas famosas, como Mark Hamill, Andy Serkis, Gary Oldman e muitos mais. Por outro lado, a produção sempre falou de muitos detalhes elaborados e de enorme ambição. A dada altura, as pledges de Star Citizen passaram a incluir um “bundle” com esta expansão, em mais uma forma de enterrar investir neste projecto. A vontade dos fãs de ver onde o seu dinheiro foi parar é óbvia.

Ao longo dos anos que temos dado cobertura a Star Citizen, temos tentado falar deste tópico com a necessária imparcialidade. Contudo, são momentos como este que nos deixam na dúvida sobre a legitimidade de Star Citizen, de Squadron 42, de tudo o que Chris Roberts fez até agora e, sobretudo, o que disse sobre o “seu” jogo. Com esta revelação de fim de ano, fica bem claro que “não há jogo” propriamente. Ainda assim, continuamos a desejar ser completamente surpreendidos.