Sebastian Vettel mostra o seu “humilde” simulador de Fórmula 1

76

Enquanto compramos um volante para dar algum realismo à nossa simulação, talvez uma cadeira de gaming e até um bom monitor, Sebastian Vettel tem metade de um bólide de Fórmula 1 para “jogar” em casa.

Dizemos “jogar”, porque o que Vettel fará com este “brinquedo” não é bem o mesmo que fazemos nas nossas horas de lazer lá em casa. Os simuladores construídos para o treino de pilotos de fórmula 1, são autênticas réplicas dos carro reais, com uma recriação fiel de físicas e outras características que dificilmente encontramos em jogos convencionais. A ideia é treinar sistemas e upgrades, ao mesmo tempo que o piloto melhora prestações.

Por mais que gostemos de F1 2021, por exemplo, estará longe do que Vettel aqui tem a correr neste sistema. Que “jogo” será? Talvez nunca saberemos. É que nesta competição há imenso secretismo do que aqui está em termos de software até de hardware. É por isso que os ecrãs estão desligados, ninguém quer partilhar nada que possa comprometer a performance ou dar vantagem a terceiros.

O simulador em questão foi construído pela Aston Martin F1 na casa de Vettel, tem um habitáculo construído com o aspecto do chassis do modelo AMR21, uma réplica do veículo usado na época 2021 do campeonato do mundo de Fórmula 1. Como o carro real, o banco é modelado ao corpo do piloto, assim como os cintos e acessórios. Tem até mesmo a protecção “halo”, volante e espelhos do carro real.

A nível de informática, três monitores ocupam o campo de visão, ligados ao que podemos assumir ser um PC topo de gama. O sistema de som é da Logitech, embora pensemos que não seja necessário usar tampões de ouvidos neste caso. E o capacete deve ser opcional…

O design e construção deste simulador foi dado ao designer de equipamento de garagem Matt Tomalin que trabalhou durante meses a desenhar este simulador com ferramentas CAD. O desenvolvimento do hardware coube à empresa de simulação Pro Sim, que também desenvolveu o sistema de feedback do volante e a calibração dos pedais para replicar o carro real.

Porque somos mesquinhos e invejosos, temos de apontar o facto do PC não estar “escondido” na base do simulador. Com tanto investido, também não era mal pensado tapar a estrutura frontal por completo. Por outro lado, entrar e sair deste habitáculo também deve ser quase tão complicado como no carro real, sem acessos além da entrada pelo topo. Não convém engordar, Vettel. E aquela película na tampa lateral do PC? Tss, tss…