Produção contra fãs “barulhentos” de Star Citizen

68

Há mais de uma década em produção, com mais de 400 milhões de dólares angariados e ainda longe de terminado, Star Citizen estará sempre envolto em polémica. Especialmente se a produção antagonizar os fãs.

São conhecidas as “tiradas” de Chris Roberts em público, defendendo o seu projecto megalómano. Sempre com a sua desculpa que algo tão grande precisa de tempo, de vez em quando defende os atrasos e alterações com agressividade, por vezes preferindo ataques directos aos seus críticos, mesmo que alguns estejam entre os que financiam as suas ideias.

Depois de ter reescrito em 2020 um plano de actividade, recentemente esse “roadmap” foi abandonado. Desta vez, a Cloud Imperium Games alega que, dada a “fluidez” da produção do seu jogo, os jogadores não precisam mesmo saber em que estado está a sua produção. A partir de agora, a CIG só irá revelar onde está actualmente a trabalhar no jogo e não apresentará os seus planos a prazo.

É claro que os fãs não gostaram desta mudança de atitude e encheram os fóruns do jogo com críticas. Afinal, são eles os financiadores e maiores interessados neste projecto. Num título tão antecipado, é frustrante ver que a produção passará a omitir os seus planos futuros. Contudo, ao invés de comunicar a decisão de uma forma construtiva, a CIG decidiu insultar uma vez mais a sua comunidade.

Segundo um longo texto publicado no blogue oficial, que não aparece assinado por Chris Roberts, mas tem todo o aspecto de ser da sua autoria, “ainda existe um muito barulhento contingente de observadores do Roadmap que veem projecções como promessas”. Quando esses reclamam, segundo a nota, “fazem ruído” que se torna numa “distracção” para a produção, comunidade e prováveis fãs.

Bom… é verdade que a produção de um jogo complexo é algo fluido e que muitas vezes é normal alterar planos ou abandoná-los se outras prioridades surgem. Assim, é complicado manter um plano fixo e público. Por outro lado, há sempre quem reclame quando algo é alterado, especialmente porque entendem como sendo algo prometido e que não é entregue.

Contudo, este tipo de palavras, por mais que até tenham alguma base de desabafo, porque todos sabemos como as comunidades podem ser cáusticas, não deveriam tornar-se posições públicas. Há pessoas que apoiaram Star Citizen há uma década, investindo dinheiro que se traduziu em nada até agora. É normal a sua frustração de cada vez que a CIG derrapa nas suas próprias ideias.

A Cloud Imperium e Chris Roberts em particular nunca lidaram bem com quem critica os atrasos, alterações de planou ou a evidente falta de produto final de Star Citizen. Além destas respostas intempestivas, os fóruns são extremamente censurados, os tópicos são frequentemente fechados ou apagados e quem ouse criticar a produção é imediatamente inundado de respostas agressivas, muitas vezes nem sequer da produção, mas de outros jogadores que “vestem a camisola”.