Overwatch 2 e Diablo IV adiados

14

Sem grande surpresa, dois dos maiores jogos em produção da Activision Blizzard foram vítimas das muitas reviravoltas na administração. Embora não tivessem uma data concreta, Overwatch 2 e Diablo IV não chegarão tão depressa.

Os dois jogos estavam “mais ou menos” previstos para 2022. Não foi nunca dada uma data de lançamento para ambos, mas desde o seu anúncio na BlizzCon 2019 que a previsão era para este ano. Contudo, dado o silêncio em volta do desenvolvimento dos dois títulos, ninguém já os esperava neste ano. 2022 parecia plausível, especialmente porque a Blizzcon 2022 foi cancelada e, bom, por mais questões internas que tenha, a produtora e editora precisa mostrar serviço para continuar relevante.

Só que todos sabemos que os dias são tumultuosos no seio da Activision Blizzard. A empresa está a enfrentar diversas questões internas, com vários casos de assédio e abuso laboral a chegarem ao tribunal e a gerar greves de trabalhadores, despedimentos e até remoção de patrocínios de eventos de eSports. Neste caso, a questão foi mais uma demissão na cúpula de direcção.

Segundo o comunicado da Activision Blizzard, “o conteúdo da Blizzard planeado para o próximo ano, beneficiará de mais tempo de desenvolvimento para atingir o seu máximo potencial”. Neste conteúdo, estão Overwatch 2 e Diablo IV que terão “um lançamento para mais tarde que o originalmente previsto”.

A causa desta revisão de datas, segundo o director da Blizzard, Mike Ybarra, deve-se a uma nova estratégia da nova equipa de direcção que tomou posse em ambas as produções. Só que não se trata de uma simples reorientação estratégica. A equipa parece estar a pedir mais tempo para que encontre estabilidade.

Em Abril deste ano, o director da marca Overwatch Jeff Kaplan demitiu-se, seguindo-se Chacko Sonny da produção executiva em Setembro. Luis Barriga, então director de Diablo IV também deixou a empresa em Agosto. Isto, sem mencionar várias demissões no lado executivo da Activision Blizzard. Estas e outras demissões resultam dos processos em tribunal ou são causadas pela pressão criada pelo mal-estar entre a direcção, os trabalhadores e os fãs.

Vejamos se esta reorientação será positiva para estes jogos, tão aguardados pelos fãs. Mais tempo pode resultar numa maior estabilidade para a produtora e editora, porque os jogos em si (e os fãs) não merecem esta conotação tão negativa. O adiamento em si não é muito negativo, uma vez que os jogos não tinham uma previsão para lançamento. É, ainda assim, mais um revés para a Activision Blizzard, numa sucessão de problemas internos que têm manchado a sua imagem.