Microsoft suspende novas vendas na Rússia

29

O “contra-ataque” do ocidente pela invasão da Ucrânia por parte da Rússia tem mais uma importante reacção. A Microsoft acaba de se juntar ao protesto, bloqueando todas as novas vendas no país invasor.

Esta medida abrange todas as novas vendas, renovações e novos contratos feitos nas plataformas Windows, Azure e Xbox. De acordo com o Presidente da Microsoft, Brad Smith, a companhia “condena esta invasão injustificada, não provocada e ilegal da Rússia”. Acrescentou depois que a forma mais eficiente de ajudar a Ucrânia é “tomar passos concretos em coordenação com as decisões dos governos”.

E esta suspensão de vendas pode não ser o único instrumento de protesto. A empresa está mesmo a estudar outras medidas, inclusive o encerramento das suas operações e escritórios na Rússia. Por outro lado, a Microsoft está a trabalhar com o governo Ucraniano para a sua defesa de ciberataques. Acções de filantropia estão também já no terreno para ajudar quem precisa no país.

A Microsoft é só a mais recente empresa a juntar-se a um largo protesto de outras empresas que já restringiram ou baniram mesmo a Rússia das suas plataformas. O protesto visa pressionar Moscovo numa escala global para que venha a travar as hostilidades. As armas, neste caso, são sanções e medidas deste calibre que visam atingir a economia, em especial na forma de comodidades do lado Russo.