Halo poderá passar a usar o Unreal Engine

12

Desde 2015 que a 343 Industries desenvolveu um motor gráfico chamado SlipSpace Engine. Embora estreasse com Halo: Infinite, os dias deste motor gráfico nesta franquia poderão estar contados.

A história do SlipSpace não é muito brilhante. Em 2020, uma demonstração da campanha de Halo: Infinite foi severamente criticada pela falta de detalhe, baixo contraste da iluminação e problemas no desenho de objectos à distância. Lançado o jogo, porém, o seu grafismo pareceu bem melhor, pelo menos mais refinado. Contudo, já se fez melhor noutros lados.

Não é segredo que o Unreal Engine tem-se mostrado muito capaz e robusto, trazendo alguns dos melhores jogos do momento a um nível impressionante de qualidade visual e estabilidade. Especialmente o recente Unreal Engine 5, que trouxe também tecnologias revolucionárias de optimização, modelação e efeitos visuais sem precedentes.

Talvez por isso, a 343 estará a pensar numa mudança. Avança o site VGC, que cita o jornalista Jeremy Penter, que uma decisão terá já sido tomada para a transição da série Halo para o motor gráfico da Epic Games. Esta decisão, segundo a fonte, é acompanha de outras mudanças de bastidores, inclusive envolvendo despedimentos.

Não há qualquer surpresa que esta ou outra franquia de enorme relevância optem por um motor gráfico, que já deu provas impressionantes e que se afirma com o “santo Graal” da produção de jogos. O que é irónico é que o SlipStream foi criado exactamente para ser uma plataforma de futuro para a produção dos próximos títulos da série Halo.

Neste momento, tudo não passa de um rumor. Mesmo que se confirme, somos levados a crer que Halo: Infinite deverá continuar no motor gráfico original. Apenas um futuro jogo na franquia poderá passar a usar o Unreal Engine. Claro que tudo dependerá de uma confirmação da 343 Industries.