Grupo pretende banir Six Days In Fallujah das plataformas

25

Já aqui falámos da controvérsia em torno de Six Days In Fallujah. O jogo já foi uma vez “cancelado” em 2009, tendo sido recentemente recuperado num novo projecto da produtora Highwire Games, com edição da Victura. O seu regresso já tem oposição.

Conforme mencionámos, a controvérsia em torno deste jogo tem a ver com a sua réplica da infame “Batalha de Fallujah”, talvez a campanha mais sangrenta da Coligação contra extremistas em território Iraquiano. Como efeitos colaterais mais significativos, muitos civis faleceram nesta confronto, de onder surgiram inúmeras acusações de violação de direitos humanos.

Ora, a organização Council on American-Islamic Relations, de Washington DC decidiu apelar às lojas e plataformas onde o jogo será lançado, a Microsoft, Sony e Valve para “banir” o que no seu comunicado chamam de “simulador de assassínio de árabes” que irá “normalizar a violência contra muçulmanos nos EUA e à volta do mundo”. Mais à frente, a organização acusa a produção do jogo de “glorificar a violência que tirou a vida a milhares de civis iraquianos”.

A produção já se tinha descartado deste tipo de acusações com uma sucinta mensagem no Twitter, onde descreve que os eventos retratados em jogo são descritos por ex-militares e civis que participaram nos eventos reais, partilhando experiências e opiniões diversificadas sobre a guerra no Iraque. Pelos vistos não parece ser suficiente.

Uma vez mais os jogos são usados como veículo para a violência real, algo que alguns estudos já provaram não ter associação. Por outro lado, já vimos noutros lados tentativas de censura pelo que é descrito como o “politicamente correcto”, levando até a alterações ou remoções de conteúdo. Neste caso, há a nuance da alegada “descriminação religiosa”.

Mesmo que Six Days In Fallujah acabe por ser só mais um shooter esquecível, o que propõe fazer é recordar um evento sangrento onde nenhum lado saiu realmente vencedor. Se mais nada fizer, que sirva para não esquecer este conflito mortal. Afinal, como disse George Santayana: “Aqueles que não recordam o passado estão condenados a repeti-lo”.

Se nenhuma das editoras ceder à pressão, Six Days In Fallujah será publicado ainda neste ano para as consolas e PC.