God of War: Ragnarok irá terminar a actual história

24

Ao contrário do anterior arco de história da série, a actual epopeia de Kratos e Atreus deverá ser composta por apenas um jogo e uma sequela. Assim, God of War: Ragnarok será o último jogo inserido na mitologia nórdica.

Quem o afirma é o próprio director do jogo Cory Barlog, alegando que este tipo de jogos demoram imenso tempo em desenvolvimento, tornando a criação de um ou mais títulos adicionais para contar a sua história algo fastidioso demais.

O comentário foi feito no canal Kaptain Kuba, onde Barlog afirma que o facto do primeiro jogo ter demorado cinco anos em produção e o segundo parecer que demorará algo parecido, “um terceiro jogo na mesma duração demoraria perto de 15 anos a contar uma única história e acho que é algo demasiado esticado”.

A ideia é que, assim, a história demoraria demasiado tempo para ser contada, ultrapassando gerações (inclusive de hardware). Reavaliando a produção de Ragnarok, a equipa terá decidido contar todo o enredo que faltava apenas no segundo jogo. Não são boas notícias para os jogadores que esperavam uma habitual trilogia. Contudo, não quer dizer que seja o fim de Kratos ou de God of War.

O que poderá acontecer é que a franquia avance para outro tipo de formato, numa concepção menos demorada ou menos extensa, possivelmente noutro arco de história. Não parece que a Sony vá desistir de uma das suas franquias de maior sucesso de sempre, especialmente olhando para os primeiros 12 lançamentos anteriores, incluindo reedições, compilações e jogos para dispositivos móveis.

Mas, talvez seja mesmo preciso criar um ponto final neste enredo. Afinal, como também disse Barlog, o “motor” destes dois jogos é a relação de pai e filho das personagens principais, uma história que não precisa ser contada em tantos capítulos para ser significativa.

God of War: Ragnarok, recordamos, será lançado no próximo ano para PlayStation 4 e PlayStation 5.