FSR da AMD promete rivalizar com o Nvidia DLSS

11

A tecnologia AMD FidelityFX Super Resolution ou FSR chegou hoje às placas gráficas Radeon da AMD. Trata-se de uma tecnologia de “upscaling” que a AMD promete rivalizar com o infame sistema de “Deep Learning Super Sampling” da Nvidia, o DLSS.

Em termos muito básicos, o FSR, tal como o DLSS, permite pegar numa imagem de resolução mediana (por exemplo a 1440p) e expandi-a a 4K através de um algoritmo que trata a imagem para que não fique com baixa resolução. No caso das placas gráficas da Nvidia, a tecnologia DLSS tem já alguns jogos com essa opção, ideal para sistemas com hardware mais humilde.

Segundo a AMD, o seu sistema FSR processa o jogo de uma forma semelhante, embora não use nenhuma tecnologia de inteligência artificial como no caso da Nvidia. Num primeiro estágio, o jogo é renderizado a baixa resolução, o que aumenta a performance do jogo. Depois o FSR aumenta a escala da imagem para 4K, usando o tal método de upscalling, reconstruido a imagem e aumentando a sua definição. Este tratamento permite melhor performance sem grandes perdas de qualidade. Pelo menos em teoria.

A ideia, no fundo, é que um jogo seja jogado em 1440p com uma melhor performance (fps), mas tenha a qualidade de imagem equivalente a 4K. Claro que tudo depende da qualidade do hardware, especialmente do monitor e da sua resolução nativa. A AMD usou os jogos Godfall e Terminator: Resistance para demonstrar como o FSR se comporta nos seus diferentes presets:

Além destes dois jogos, uma série de outros títulos já têm ou irão receber em breve suporte para esta tecnologia, assim como os presets de qualidade, como os que podem ver acima. O FSR poderá ser usado em quase toda a família Radeon, segundo a AMD até mesmo nas séries RX 400. O que varia, obviamente, é a capacidade processamento do GPU em si e a consequente melhoria de fps disponível.