Electronic Arts enfrenta justiça Canadiana pelas caixas de loot

23

Há algum tempo que não falávamos desta questão, até porque outras questões mais prementes empurraram este assunto para segundo plano. Contudo, alguém no Canadá não pretende dar tréguas à Electronic Arts e às suas práticas com as caixas de loot.

Diversas organizações e até governos (Bélgica, Holanda, Suécia ou Alemanha) já apresentaram as suas posições contra as opções de várias empresas de videojogos de implementarem caixas de loot ou outros formatos de itens comprados com recompensas aleatórias. Em alguns desses países as suas leis são claras quanto a jogos de azar, especialmente protegendo menores deste tipo de jogatina.

Há já algum tempo que a EA é tida como uma das principais impulsionadoras desta opção comercial. No passado dia 30 de Setembro, um novo processo judicial foi apresentado à justiça Canadiana (leiam aqui na íntegra), em que a EA é acusada de ter “um negócio de jogo de azar (gambling) ilegal” e que está a “enriquecer no processo”. O processo visa proteger todos os que compraram as ditas caixas desde 2008.

Ora, muitos jogos EA incluíram caixas de loot, num formato ou outro. Lembramo-nos logo da polémica com Star Wars Battlefront II, mas é claro que a série FIFA Football encabeça a lista de títulos em que estas caixas de bónus aleatório mais deram lucro à gigante norte-americana.

É muito provável que este seja apenas mais um processo prescrito ou ignorado com o passar do tempo. Independentemente das deliberações de vários países, a EA e outras empresas continuam a contornar as leis locais. A clareza das práticas resultantes das Caixas de Loot pode ser dúbia mas que continuam populares e altamente lucráveis, disso não há dúvida.