Dois interessantes projectos da Razer vindos da CES 2017

1276

A Razer não se limita apenas a ser a marca líder de periféricos para gaming. Abrangendo cada vez mais áreas de interesse, também tem vindo a apostar em inovações e a arriscar novos horizontes ao nível do hardware. Este dois projectos, “Valerie” e “Ariana” são dois bons exemplos dessa busca pela inovação.

O projecto Valerie é um novo PC portátil da marca das cobras que, pela primeira vez, traz a imersão de três monitores, recorrendo à tecnologia Nvidia G-Sync. Cada um dos monitores de 17.3” tem resolução 4K e NVIDIA Surround View para jogar num total de 180 graus expandidos. Mas não se assustem com a dimensão e peso, ou até com a complexidade de ligações ou montagem.

No total, o computador pesa apenas 5.5 quilos, graças ao chassis unibody em alumínio de apenas 1,5′ de espessura. Os dois monitores laterais estão montados num sistema de desdobramento automático, em que deslizam lateralmente para a posição, sendo também ajustáveis no seu ângulo. Tudo sem montagem ou cabos. Quando ao que está lá dentro, esperem um PC nas mesmas características do fantástico Razer Blade Pro de 17”, o actual PC topo de gama da Razer, até mesmo com o seu famoso teclado mecânico.

No que toca ao Projecto Ariana, imaginem poder expandir o vosso jogo além do vosso ecrã. Basicamente, é um sistema de iluminação baseado na gama Razer Chroma e que permite expandir o ecrã de jogo com recurso a um projector de vídeo especial. Com várias parcerias, diversos jogos e plataformas já usam a tecnologia Chroma para animações de iluminação nos dispositivos Razer. Esta outra novidade é um passo em frente.

Graças a um sistema proprietário que comunica com os jogos em tempo real, é possível projectar efeitos visuais que visam ampliar a experiência. Estes efeitos podem variar desde luz ambiente, efeitos especiais ou até vídeo. Para isso, o projector usado é de alta definição e tem uma lente “olho de peixe” ultra-wide, com projecção adaptada. O sistema usa um par de câmaras 3D e calibração via software proprietário, que torna possível uma adaptação a qualquer parede, inclusive mobilada.

Para já, Ariana é apenas um conceito, mas parece uma boa alternativa à imersão do mundo tridimensional através dos óculos de realidade virtual, algo que a Razer já está empenhada com o seu Razer OSVR. Estranhamente, este último dispositivo continua envolto em alguma incógnita mas temos a certeza que haveremos de o ter disponível em breve.