Crytek e Cloud Imperium encerram litígio por Star Citizen

26

Há dias, demos a conhecer mais um desenlace de uma acção judicial que envolvia a Germânica Crytek e a Cloud Imperium, a produtora do projecto Star Citizen. O caso, entretanto, foi resolvido por acordo nos bastidores.

O caso remonta a 2017, quando a Crytek reclamou o uso alegadamente indevido do seu CryEngine 3 na produção de Star Citizen, mais precisamente da expansão Squadron 42. Embora inicialmente a equipa de produção tivesse usado este motor gráfico, há algum tempo anunciou que teria migrado tudo para o novo software de desenvolvimento Lumberyard da Amazon. Contudo, a empresa Germânica continuou convicta que muitos elementos do CryEngine 3 foram usados em Squadron 42, sendo omitidos das informações do jogo e quebrando o contrato firmado entre as partes.

No mês passado, a Crytek anunciou que pretendia tentar remover o processo em tribunal. Ao que parece, o objectivo era suspender temporariamente o litígio até que Squadron 42 fosse “lançado” pela CIG. Nenhuma data concreta foi alguma vez dada pela CIG, tanto para Star Citizen como para Squadron 42, mas a Crytek estava convicta que o seu lançamento em Alpha/Beta aconteceria para breve. Seria assim, depois, possível abrir processo pelo uso indevido do CryEngine nessa expansão.

Embora na altura da nossa notícia déssemos conta que Cloud Imperium não se ficaria por um adiamento ou remoção do processo, intentando mesmo que a Crytek pagasse a factura de CIG respeitante aos gastos causados pelo processo e possíveis valores adicionais, pelo menos de acordo com o documento partilhou a 17 de Janeiro.

Pois bem, talvez porque a “novela” já estivesse muito dispendiosa, talvez porque este processo não parecia ir a lado nenhum com acusações para os dois lados, as duas empresas apresentaram um acordo para terminar o litígio, pedindo 30 dias para finalizá-lo. A disputa pelos direitos firmados levantada pela Crytek e a dos “danos provocados” defendida pela CIG, ficarão assim removidas em tribunal. Até à data não é possível apurar o que ficou realmente acordado. No Reddit alguém partilhou esta notificação:

Assim, talvez dentro de 30 dias tenhamos mais alguns pormenores sobre este litígio e como as partes chegaram a acordo. Esta pode ser uma “lufada de ar fresco” para este longo projecto cheio de contornos estranhos, a braços com muitas incertezas e dúvidas da validade da produtora e dos seus projectos. Mas, os litígios podem não ficar por aqui.

Desde 2011 que Star Citizen está em produção. Squadron 42, uma espécie de modo de carreira a solo para este MMORPG espacial, sofre exactamente da mesma inércia do jogo base. Ao fim destes anos todos, cheios de promessas tantas vezes vagas, “vapourware” na gíria desta Indústria e muitas dúvidas nas capacidades de Chris Roberts e companhia, pouco ou nada foi até agora entregue aos backers que já gastaram centenas de milhões de dólares em donativos.