Centenas de jogadores de PC banidos em Destiny 2

747

Infelizmente, por causa dos que não querem jogar legitimamente, alguns jogadores inocentes foram “na leva”.

Bom, “sem justificação” é a alegação dos jogadores banidos. A Bungie decidiu banir dos seus servidores umas quantas centenas de jogadores da versão PC de Destiny 2, aparentemente por questões de batotas, exploits ou abuso geral da utilização do jogo. A reacção não se fez esperar.

Para muitos jogadores, os primeiros dias da versão PC de Destiny 2, lançada anteontem, dia 24, tem sido um pesadelo. Contudo, talvez essa experiência mais negativa seja culpa sua. Segundo a produtora Bungie, “cerca de 400 jogadores” foram banidos “manualmente” dos seus servidores por suspeitas de “uso de ferramentas que são uma ameaça ao ecossistema partilhado do jogo”. Ou seja, somos levados a crer que, uma vez mais, os jogadores de PC menos experientes ou mais abusadores preferem fazer batota e passar despercebidos.

Entretanto, a Bungie explicou que estes banimentos não são processos automáticos e resultam de análises e investigações feitas pela equipa de segurança. Assim, todos os banimentos resultam de um acto manual e deliberado da Bungie.

Isto parece contradizer algumas vozes da discórdia que afirmam que os banimentos são resultado de avisos automáticos falsos, possivelmente criados por softwares inocentes como “overlays” para streaming e outras ferramentas.

Apesar de tudo, na mesma mensagem no blog, a Bungie informa que identificou uma série de Bans feitos por engano e que reverteu a situação o mais rápido possível para alguns destes jogadores banidos. Muitos destes casos de reversão serão resultado das imensas queixas presentes nos fóruns de suporte da produtora. A garantia da Bungie é que tudo será tratado com justiça.

Agora já sabem. A Bungie está atenta e não vai deixar que deturpem o seu jogo-bandeira. Evitem software que injecte código sobre o jogo, mesmo que pareça inocente. O resultado poderá ser um simples bloqueio do jogo ou um banimento da própria conta, como neste caso.