Centenas de jogos alegadamente abusivos removidos do Steam

32

Hoje parece o dia do Steam mas agora o tema é outro. A história de produtores jogos que “abusam” das mecânicas e regras do Steam é longa. Já antes a Valve tomou medidas para, por exemplo, restringir mudanças de datas de lançamento. Mas, agora foi mais longe.

Nas últimas 24 horas, todos os produtores que, segundo a Valve, “abusaram das ferramentas do Steamworks” fora sumariamente banidos. A lista de jogos banidos (via Steam Tools) aumentou subitamente, atingindo quase os 3000 títulos em poucas horas. Antes desta situação, já inúmeros jogos haviam sido removidos da loja, mas agora também foram banidos de usar a plataforma.

De acordo com a produtora Alexandra Frock, “uma boa parte” dos jogos removidos pertencem a uma editora/produtora Russa, cujo nome original será Dagestan Technology. Empresa essa que tinha a seu cargo centenas de jogos comercializados com recurso a pseudónimos. Nada suspeito.

Acontece que, segundo alegações na rede social Reddit, há situações que os produtores estão a reclamar injustiça. Há jogos banidos, que alegadamente não prevaricaram, só porque figuram no catálogo de uma destas empresas Russas. Os visados alegam que a Valve se limitou a banir editores sem investigar cada jogo afectado.

Uma coisa é punir editoras ou produtoras que não “jogam legalmente”. Outra é pegar numa lista e eliminar indiscriminadamente o trabalho de alguns que nada têm a ver com isso. Por outro lado, convém que os produtores escolham bem as empresas com que trabalham, sob risco destas não cumprirem regras e serem punidas com a remoção das suas representações. Como aconteceu aqui.