Call of Duty: Modern Warfare não será vendido na PS Store da Rússia

264

A estrear no final desta semana, Call of Duty: Modern Warfare será lançado na PS4 (e não só) em todo o mundo… ou quase… Num anúncio inédito, a produção fez saber que o jogo não estará disponível na PlayStation Store Russa.

Não se sabe ao certo o que se passou, porque o jogo será lançado na mesma nas demais plataformas (PC e Xbox One) na data prevista neste país. E também tudo leva a crer que as edições em formato físico da PS4 também sejam vendidas nas respectivas lojas. O que é certo é que a conta oficial de Twitter da série Call of Duty para o território Russo fez o seguinte comunicado (tradução em baixo).

В основе Modern Warfare – полностью вымышленная история, тщательно созданная, чтобы доставить удовольствие всем игрокам. SIE решили не продавать игру в российском PS Store. Мы с нетерпением ждем выхода игры в цифровом варианте для ПК и Xbox 25 октября.

— Call of Duty Russia (@CallofDutyRU) 22 de outubro de 2019

Tradução: “Call of Duty: Modern Warfare é uma obra de ficção que foi cuidadosamente criada para entreter os fãs e contar uma narrativa entusiasmante. A SIE decidiu não vender Modern Warfare na PS Store Russa nesta altura. Estamos a preparar o lançamento de Modern Warfare digitalmente na Rússia a 25 de Outubro no PC via Battle-net e nas consolas via Xbox.”

Tudo leva a crer que algo na história do jogo poderá não ser do agrado, ou da SIE, ou até do próprio governo Russo que, de alguma forma, tenha feito pressão junto da Sony. Como não é dada qualquer explicação, fica espaço para especulação e esta última hipótese ganhou alguma tracção online, também fruto das recentes questões de censura noutros jogos acidentalmente também da Activision.

Segundo um artigo no blogue do jogo, a Rússia é descrita como implacável num determinado conflito em que abre fogo contra terroristas e resistentes, sem distinção de lados. E há até uma missão no jogo que nos leva a assassinar um soldado Russo a sangue frio. Pode ser o suficiente para alguém (estamos a olhar para ti, Putin) não gostar do conteúdo e ter pressionado a Sony a tomar uma decisão.

O que é mais estranho é que, segundo a produção, esta decisão não partiu da Activision, que irá avançar na mesma com o lançamento do jogo na Rússia, desmarcando-se da posição da Sony. Recordamos que desde há uns anos que a SIE tem uma parceria com a Activision para distribuir este jogo em alguns territórios, o que torna esta decisão ainda mais complicada de entender.

Não é a primeira vez que Call of Duty causa mal-estar no panorama político e social. Antes deste, Call of Duty: Modern Warfare 2 (2009) já tinha causado “frissom”, curiosamente também com Russos envolvidos. Numa missão chamada “No Russian” os jogadores eram levados a abrir fogo indiscriminadamente sobre civis num aeroporto Russo. Nessa altura, porém, não se ouviu falar de cancelamento de vendas. A produção colocou a missão como opcional e podíamos simplesmente saltar toda a sequência.

Call of Duty: Modern Warfare será lançado na próxima sexta, 25 de Outubro na PlayStation 4, Xbox One e PC.