Bravely Second com novo trailer

1250

Um novo trailer e um scan da revista Jump revelam alguns novos detalhes da sequela Bravely Second daquele que é, talvez, o melhor RPG a chegar do oriente nos últimos anos.

O scan da revista, que podem ver em baixo. mostra uma figura semelhante a Tiz, o protagonista do primeiro jogo. Com um novo design, esta personagem parece agora muito mais distante do rapaz que cresceu numa quinta, como havia surgido em Bravely Default. Uma mudança drástica, que transformam a personagem Tiz numa espécie de Super Sayajin, e que pode deixar alguns jogadores de pé atrás.

Não obstante, este jogo será também produzido pela Silicon Studio, o estúdio que trabalhou com a Square Enix para nos trazer o primeiro título que considerámos aqui no WASD como genial e que nos fez entender que a gigante nipónica ainda sabe fazer JRPG’s como gostamos e ansiamos fervorosamente. Bravely Default foi aquilo que os ingleses costumam chamar de um system seller, um produto capaz de vender consolas 3DS por si só. Por isso, venha de lá esse Bravely Second para a Europa também.

Voltando ao scan da revista Jump referente a Bravely Second, este revela ainda, sem muitos detalhes, que teremos de salvar Tiz que se encontra preso. São ainda prometidos um novo sistema e uma nova profissão “Guardian” na sequela.

Esta sequela ocorre no mesmo universo de Bravely Default, anos mais tarde depois dos eventos do primeiro jogo. A jogabilidade clássica de JRPG continuará, restando ainda dúvidas se o sistema “Brave” e “Default”, uma das grandes novidades do primeiro título, continuará nesta sequela. Uma nova personagem, Magnolia Arch, já foi confirmada como uma das principais protagonistas e poderemos explorar mais de Luxendarc. Alguns regressos das personagens do primeiro jogo também já foram confirmados, como é o caso hoje de Tiz, assim como de Edea Lee que regresserá em Bravely Second como capitã dos cavaleiros da Imperial Guard.

A data de lançamento de Bravely Second ainda só está confirmada para o Japão, no dia 23 de Abril de 2015, enquanto para a Europa ainda não existe nenhuma informação concreta.