Babylon’s Fall encerra servidores em menos de um ano

11

É normal que se tenham esquecido de Babylon’s Fall, até porque a Square Enix também não se empenhou muito com o jogo. Não só nunca foi muito popular, como a persistência não teve sucesso.

Anunciado em 2019 e lançado em Março deste ano, passou ao lado de muita gente. Entre as principais críticas, os jogadores queixam-se do aspecto genérico do seu visual, a sua repetição e, claro, a falta de conteúdo. O formato de “jogo como serviço”, tornava-o algo dependente de um trabalho contínuo que não chegou a acontecer… porque também nunca atingiu a devida popularidade que o justificasse. O que em bom Português se chama de “pescadinha de rabo na boca”.

Perante as críticas evidentes, mesmo assim a editora Square Enix e a produtora Platinum Games não desistiram logo do jogo, pedindo até ajuda aos jogadores para encontrar formas de o melhorar. Não sabemos o que os jogadores disseram ou qual o nível de participação. Mas, chegou uma segunda temporada em Maio, com a promessa que não seria removido o suporte, um pouco à semelhança de outro “jogo como serviço” falível da Square Enix, Outriders. Só que, neste caso, esta promessa caiu por terra.

Afinal, segundo o site oficial, os servidores online do jogo vão mesmo encerrar no dia 27 de Fevereiro de 2023, o que significa que a sua vida útil será de menos de um ano. Todas as expansões planeadas foram canceladas e a venda de micro-transacções foram já impedidas. Sendo um RPG de acção multi-jogador online, o encerramento significa, na prática, o fim efectivo da sua vida. Até lá, o seu suporte técnico só vai durar até ao final da actual segunda e última temporada, a 29 de Novembro.

Ironicamente, a produção avisa que só terão esta oportunidade para ganhar os bónus e recompensas desta segunda temporada. Deverão haver outras preocupações mais prementes para os cerca de 1000 jogadores (em pico de actividade) que ainda o jogam, pelo menos no PC. Por exemplo, onde recuperar o seu tempo e dinheiro já investido, num jogo de preço AAA e cheio de extras para comprar com dinheiro real.

Bem cedo, ficou claro que Babylon’s Fall não foi uma boa aposta, até mesmo antes do lançamento. Não só já Outriders tinha mostrado a volatilidade deste conceito de “jogo como serviço”, como não houve grande marketing da Square Enix para promover o novo jogo, nem sequer dando acesso antecipado aos meios para as devidas análises, como foi o nosso caso. Talvez estivesse a antecipar o fracasso e assim até pouparam os meios de perder o seu tempo. Porque lançou na mesma, em vez de lhe dar tempo para maturar, é uma dúvida que poderemos nunca responder.