Ao que parece, não teremos um Call of Duty em 2023

27

É já quase uma “tradição”. Todos os anos temos um novo Call of Duty para jogar, mais ou menos em meados de Novembro. Contudo, a Activision pode mudar de estratégia… pelo menos é que diz um rumor.

Convenhamos que um jogo anual está propenso a repetição, alguma falta de originalidade e, claro, uma saturação no seu género. É por isso que algumas produtoras decidiram abandonar o processo de lançar um jogo por ano na mesma franquia. A Activision era das poucas resistentes neste formato, mas isso poderá mudar em breve.

De acordo com o site Bloomberg, o que faz disto um perfeito rumor, obviamente, múltiplas fontes confirmaram que um recente lançamento na série Call of Duty ficou aquém das expectativas. Tudo leva a crer que terá sido Call of Duty: Vanguard, um título que vendeu menos 40% em comparação com o anterior Call of Duty: Black Ops – Cold War.

De acordo com o site, este resultado desapontante poderá levar a Activision a repensar os seus lançamentos anuais. Ao que parece, uma nova versão do modo de jogo “free-to-play” Call of Duty: Warzone poderá estar nos planos para o próximo ano, lançado novamente como “standalone” no lugar de um novo título da série. Assim, a produção poderia dar-lhe mais suporte contínuo de conteúdo para não perder a sua audiência.

Em resposta ao artigo, a Activision parece contradizer este rumor, dizendo que tem uma “lista de experiências Call of Duty premium e free-to-play para este ano, para o próximo e adiante”. Como sabemos, neste ano teremos mais um Call of Duty: Modern Warfare da Infinity Ward.

Agora que a Activision está nas mãos da Microsoft, esta pode ser a mudança de estratégia que a franquia Call of Duty mais precisava. Com lançamentos mais espaçados, dá tempo para criar algo realmente novo, ao invés de reciclagens de ideias de ano para ano. Esta foi e será sempre a grande lacuna da série CoD.