Tudo começou com o primeiro eSwap Pro para PlayStation. Depois, tivemos uma nova versão para a Xbox. Agora, a Thrustmaster lança uma revisão ao conceito, com o novo Thrustmaster eSwap S Controller. Uma espécie de versão “light” do aclamado comando.

No mundo dos jogos competitivos, em que os milésimos de segundo, a ergonomia e a personalização contam tanto, o conceito eSwap da TM, embora não seja realmente inédito, tornou-se quase uma norma. Nos círculos de eSports, este comando surge muitas vezes nas mãos dos jogadores. A sua capacidade de troca de componentes e elevada dose de personalização fazem destes comandos os preferidos de muitos. Esta revisão do conceito eSwap Pro, porém, constitui uma simplificação do produto. Ainda tem que é preciso para os jogadores mais exigentes?

Uma vez mais, este novo modelo foi concebido (e licenciado) para uso exclusivo das consolas Xbox Series X|S, embora também possa ser usado no PC. Já o anterior eSwap Pro X era de uso exclusivo do X verde, estando ainda hoje à espera de uma revisão do primeiro eSwap Pro para as consolas PlayStation. Embora não acredite que a TM aborde as características de feedback háptico e gatilhos adaptativos equivalentes ao DualSense, seria bom, pelo menos, uma revisita ao modelo original a pensar na PS5. Enfim.

Um pormenor que notarão no novo eSwap S é que um dos módulos esquerdos T-Mod é agora fixo, não sendo possível alterar a posição das teclas de cursor (d-pad) com o analógico esquerdo, uma configuração do tipo PlayStation. A ideia terá sido dupla, quanto a mim. Por um lado, mantém-se o design exclusivo dos comandos licenciados Xbox. Contudo, além do terceiro T-Mod, também se perdem outras opções de personalização, apontando aqui, por outro lado, para uma simplificação também nos custos gerais de produção e de aquisição.

O que foi removido? Notarão a superfície texturada nas pegas que substitui as tampas laterais comutáveis dos modelos anteriores. Ainda outra alteração está nos gatilhos, agora também fixos e sem hipótese de os alterar para, por exemplo, gatilhos mais longos. Virando o comando ao contrário, notarão que, além do bloqueador de curso dos gatilhos que já tínhamos visto nos comandos anteriores, há menos dois botões programáveis dos quatro originais. Confesso que nunca fui grande fã destes botões mas é mais uma remoção.

Todas estas mudanças constituem uma simplificação, sim, mas removem muita da capacidade de comutação e personalização que tanto gostamos nestes eSwap. Foi como se a TM revisse o conceito “premium” dos comandos eSwap e quisesse criar uma opção mais “budget”. Felizmente, no interior ainda estão componentes de longa duração, com os stick analógicos S2 NXG, sensores dos gatilhos de excelente precisão e os botões de actuação mecânica, que até são agora ligeiramente mais baixos (0,3mm para ser mais preciso).

Portanto, tirando as coisas que não podemos personalizar, não senti qualquer compromisso usando o eSwap Pro S em comparação com os outros dois comandos. Experimentei vários jogos diferente e diria que, se fechasse os olhos, é equivalente ao eSwap X Pro, com excepção do reposicionamento dos botões das memórias dos perfis. Por falar nisso, até usei os mesmos mapeamentos salvos no software Thustmapper, carregando-os para a memória do comando (até dois perfis possíveis). Apenas achei o comando “mais leve” mas pode ser apenas sugestão.

Então, qual é a vantagem deste comando perante os antecessores? Se remove características e funcionalidades, porque deveria comprá-lo e não o eSwap Pro ou o eSwap X Pro? A resposta, curiosamente, não é simples. Inicialmente, poderão pensar que é uma questão de preço. O eSwap X Pro tem um PVP de 179,99 €, enquanto que o eSwap S Pro se fica pelos 129,99€. Ou seja, menos 50€ pelas características e funcionalidades que se removem, teoricamente mantendo a mesma qualidade técnica.

Só que, honestamente, por mais 50€, penso vale mais a pena optar pela versão eSwap X. Acho a diferença de preço um pouco injustificada, quando perdemos um slot T-Mod comutável, dois botões traseiros e as duas tampas laterais, além dos gatilhos e d-pad não serem alteráveis. Temos de considerar, não apenas o aspecto visual, mas também o desgaste das peças. Trocar os sticks analógicos, os gatilhos ou os d-pads nos modelos anteriores, dá uma longevidade interessante aos comandos. Basta adquirir um kit de personalização para nos dar a sensação de um comando novo.

Também devo dizer que, sinceramente, não gostei muito do novo design do d-pad com cantos arredondados… só que não o posso trocar por nenhum daqueles kits de personalização já disponíveis. Enfim, é para mim um retrocesso neste aclamado conceito, embora ache que uma boa parte dos jogadores acabe por não ligar muito ao aspecto. Acho a diferença de preço escassa, ainda com um PVP acima da média, o dobro de um comando Xbox original. Assim, é difícil defender o eSwap S Pro.

Veredicto

Se procuram um comando de qualidade, numa exigência ao nível da competição online e eSports para PC ou Xbox Series X|S, então o Thrustmaster eSwap S Pro Controller não vos vai comprometer. Tem todo o rigor técnico da TM, num comando mais ligeiro nesta linha conceituada, mantendo toda a precisão. Só que, por uma diferença relativamente pequena no preço, o modelo anterior continua a ser o mais interessante na gama dos comandos premium. Entendo o intuito deste modelo mas faria mais sentido um custo mais reduzido para ser mais apetecível e justificar tantas alterações.