O WASD entrevistou a equipa do Insert Coin

3589

Para os mais distraídos, o Insert Coin é considerado (por muitos!) o melhor programa de vídeo jogos que passa na nossa televisão, mais precisamente nos canais AXN e Animax.
Após entrarmos em contacto com a equipa do Insert Coin, foi nos concebida a oportunidade de fazermos umas breves perguntas sobre o programa e sobre a equipa que o torna possível. 

Olá Insert Coin, antes de mais quero agradecer em nome do WASD a oportunidade de fazer estas perguntas.

WASD: Primeiro de tudo, como surgiu o Insert Coin?
Insert Coin: O Insert Coin é um projecto que nasceu devido à falta de conteúdos sobre videojogos na televisão. O AXN considera que um conteúdo deste género traz aos seus espectadores informação sobre algo que estes conhecem e usam. Normalizar a utilização e consumo dos videojogos é algo que o Insert Coin procura desde o primeiro momento e é algo que conseguimos graças, também à indústria, que se soube adaptar aos novos públicos de maneira muito eficiente. Principalmente às mulheres, pessoas mais velhas e famílias. O videojogo foi feito para ser visto num ecrã e a TV é o ecrã mais visto: a mistura perfeita.

W: A equipa do Insert Coin é composta por quantos membros?
IC: A equipa do Insert Coin está dividida em 2 partes: a equipa habitual de conteúdos (8 pessoas) e os colaboradores e trabalhadores pontuais (câmaras, som, técnicos….). no Insert Coin, semanalmente, somos cerca de 17-20 pessoas.

W: Quantas pessoas existem para analisar os jogos?
IC: Actualmente há 3 pessoas responsáveis por esta tarefa. Jogam muito, analisam, escrevem e descrevem as suas experiências aos comandos. Por vezes são os mais invejados, mas nem sempre jogam o que querem jogar.

W: Qual foi o jogo mais marcante que já analisaram?
IC: É complicado escolher um. Ao analisar um jogo tentamos meter-nos no lugar do público ao qual está dirigido. Não é a mesma coisa experimentar um jogo da BARBIE sendo rapaz e tendo 35 anos, que meter-nos no lugar de uma menina de 9 anos, que é quem devia definir essa sensação. Por isso cada jogo marca à sua maneira e a um público específico. Na verdade experimentar a Wii foi uma sensação única. Tinha nascido uma coisa mesmo diferente. É uma coisa que nos acontece agora com os smartphones…

W: As análises dos jogos são feitas em conjunto com a equipa do Insert Coin Espanhol?
IC: Cada análise é realizada por um redactor. Não partilhamos experiências nem “debatemos”. São sempre subjectivas e tentamos procurar o melhor e o pior de cada jogo. Muitas vezes a análise de um jogo cria polémica dentro da equipa, mas acontece o mesmo com o cinema e a música: há gostos para tudo. Mas somos muito críticos com jogos que aproveitam o momento para tentar vender unidades e não tiveram um processo de desenvolvimento razoável, nem coerente para fazer um bom produto.

W: Como se chama o dono da voz por trás dos vídeo e análises?
IC: A voz masculina é do Arcindo Guimarães, uma pessoa muito divertida e criativa que às vezes usa a sua voz para nos fazer rir. A feminina é da Adriana, que também coordena o programa em Portugal.

W: A Filipa joga e constrói as suas próprias análises ou dá apenas a imagem ao programa?

IC: A Filipa joga cada vez mais. É uma pessoa que aprende muito rapidamente. Começou por jogar pouco e por dar a imagem ao programa (uma imagem perfeita!) e agora joga as suas partidas. Gosta principalmente de jogos de movimento: Wii, Move, Kinect… mas também joga umas partidas na PSP.

W: Onde é que a Filipa arranja tanto Carisma?
IC: Filipa é o ingrediente principal do Insert Coin. É a amiga que qualquer jogador gostava de ter para jogar aos fins-de-semana umas partidas. É uma pessoa que gosta do que faz, é muito profissional e consegue algo muito importante: transmitir proximidade. Não é uma personagem criada para a televisão, ela é assim tal como a vêm. Trabalhar com ela é uma maravilha, e torna o programa único.

W: Tem alguma consola de preferência?
IC: Pelo que percebemos agora anda muito agarrada ao iPhone, pelo que deixou as consolas abandonadas. Mas com o telemóvel está sempre a jogar.

W: Qual o vosso jogo favorito?
IC: No programa somos muitos e cada um tem os seus gostos. Mas se tivéssemos que escolher “o mais jogado do Insert Coin” provavelmente seria o GRAN TURISMO. Gostamos de nos desafiar aqui no escritório e conseguir ganhar corridas. Mas também gostamos do Sing Star e outros jogos musicais. Bem merecia uma reportagem!!

W: Quanto tempo demora um episódio a ser gravado?
IC: Demoramos cerca de uma semana a produzir cada um dos programas do Insert Coin. Por um lado vão-se produzindo conteúdos: joga-se, escreve-se, captura-se, e edita-se em vídeo…. Por outro, gravamos em estúdio. Todas as semanas gravamos os pivots e o que é necessário. Depois de termos tudo, juntamos e criamos o programa.

W: E vai para o ar quanto tempo depois?
IC: O programa é emitido quatro dias depois de o entregarmos ao canal. Ou seja, terça ou quarta-feira acabamos o programa do fim-de-semana seguinte.

W: A mascote do Insert Coin já tem nome?
IC: Mr. Rocky!

W: Ambições para o Insert Coin?
IC: Estamos no ar há mais de 4 anos e meio e gostávamos de durar muito mais tempo. É um desafio complicado, e todas as semanas passamos o teste. Mas depende muito do público, se continuarem a apoiar-nos continuaremos no ar.

W: Para concluir gostaríamos de perguntar como pensam que será o futuro dos vídeo jogos.
IC: 
Para já estamos a assistir a uma mudança radical. A distribuição está a mudar (agora será digital e não física), mudam os modelos de negócio (aparece a forma de jogar gratuitamente, a troco de publicidade), mudam os suportes (cada vez temos mais “plataformas”). Não sabemos qual vai ser o modelo dentro de uns anos, mas achamos que os smartphones podem vir a ser as novas consolas. As tradicionais terão que se adaptar e continuar a oferecer algo mais (já estão a tentar) para manter-se nas estantes das nossas casas. É um momento muito bonito e estamos a ser protagonistas. Todos temos que acrescentar alguma coisa nesta mudança e o público escolhe.

Resta-nos agradecer a disponibilidade da equipa para responder às nossas perguntas e esperamos que continuem com o excelente trabalho que têm habituado por muitos e muitos anos. Bons Jogos!