Se estão a par das melhores novidades para o Microsoft Flight Simulator, certamente “tropeçaram” no Just Flight 146 Professional. Este é, sem dúvida, um dos melhores add-ons do momento para o simulador.

Ao longo dos anos, a Just Flight tem vindo a garantir alguns dos melhores add-ons para simulação. Entre expansões de menor dimensão, recordo com saudade o emblemático Majestic MJC8 Q400 para FSX e P3D, o seu L-1011 Tristar ou o seu inesquecível clássico 737-200 Professional, ambos para o FSX e, claro, também este 146 Professional que já foi por si recriado algumas vezes. Em todos estes addons, a Just Flight aposta em aeronaves clássicas mas com imensa imersão e realismo. Agora no MSFS, o primeiro clássico é este simpático avião de características regionais, uma aeronave tão única como exemplar, fielmente recriada no mais recente simulador.

Já disponível para Prepar3D e X-Plane 11, para o Microsoft Flight Simulator a Just Flight decidiu fazer várias melhorias no add-on. Além de uma série de novas pinturas de companhias que operam ou operaram o mítico “Whisper Jet”, temos um novo Electronic Flight Bag que inclui total integração com o Simbrief na importação e rastreio do plano de voo e ainda permite controlar várias funcionalidades e configurações do aparelho. Além disto, temos um novo conjunto de sons, melhorias em vários sistemas, novos efeitos visuais e muitas outras novidades, a tal ponto que a Just Flight tem um documento só para as melhorias desta versão.

Mas, por mais que esta aeronave possua características e funcionalidades robustas, é muito possível que alguns de vocês passem ao seu lado e não tenham o mínimo interesse em descobri-la. Para isso, contribuirá a pouca popularidade do pequeno avião. Não se tratando de um Airbus ou Boeing, certamente poucos o viram sequer a voar, muito menos agora quando há cada vez menos exemplares em actividade. Dos cerca de 230 aviões fabricados em três dimensões e variantes, porém, cerca de 140 ainda voam, num atestado de qualidade para esta pequena grande plataforma.

O British Aerospace (BAe) 146 nasceu como um projecto da Hawker Siddeley em 1973 para preencher o vazio entre os “commuters” turbo-hélice regionais e os aviões comerciais a jato de médio curso, com os então populares Boeing 737. O HS 146, só voou pela primeira vez em 1981, porém, depois de anos de desenvolvimento e atrasos. Por essa altura, o pequeno jacto já se chamava de BAe 146 quando a Hawker faliu e foi absorvida pelo consórcio Britânico. Foi desde logo apreciado pela sua economia e pelo seu curioso baixo ruído, o que levou a ganhar a alcunha de “Avião Suspiro” ou “Whisper Jet”.

A contribuir para esse “silêncio” está a decisão de construir o avião com quatro pequenos motores Avco Lycoming AF 502 turbofan, montados por baixo das suas curtas asas em desenho cantiléver. Este design permite que o avião opere em pequenos aeródromos e pistas, perfeito para viagens regionais, para as quais foi desenhado. Ao todo, a BAe construiu três variantes de tamanho, o -100, o -200 e o -300, assim como as suas variantes de carga QT (Quiet Trader) e versões conversíveis QC (Quick Change) para mudanças rápidas de configuração carga/passageiros.

É bem possível que conheçam este avião com outro nome: o Avro Regional Jet. Em 1993 a Avro modernizou o cockpit com uma parte de instrumentação digital, renomeando as variantes RJ70 (-100), RJ85 (-200) e RJ100 (-300). No exterior, na performance e nas capacidades gerais, tecnicamente, nada muda. A Avro simplesmente tomou conta da produção e modernizou o que era, de facto, modernizável no aparelho, sem alterar design ou linhas de produção. Ao longo dos anos, porém, a British Aerospace e a Avro propuseram outras variantes do seu famoso avião.

Para os militares foram feitas várias propostas, inclusive uma variante de reabastecimento aéreo e uma variante “M”, basicamente uma versão civil convertida em avião cargueiro ou de transporte de tropas e com melhorias de aviónicos. Contudo, a vida militar do 146 foi, digamos, curta. Noutros lados, o 146 chegou mesmo a ter uma versão de bombardeiro para combate a incêndios. Também foi uma das primeiras aeronaves com motorização eléctrica, numa plataforma de testes criada em parceria entre a Airbus, Rolls Royce e Siemens.

Com uma história tão interessante, há sempre curiosidade de voar este que é o avião mais bem sucedido de sempre da história da indústria aeronáutica civil Britânica. E é também um dos add-ons mais bem sucedidos de sempre da Just Flight para os vários simuladores. Este é o avião ideal para voos mais curtos, inter-cidades ou mesmo internacionais de pequeno alcance. É perfeito para voar em aeródromos de pequena dimensão, até mesmo em locais remotos. E para quem gosta dessas coisas, há um motivo pelo qual é ainda muito usado para operações de carga.

O BAe 146 é um avião realmente peculiar. A sua potência não é muita, muito por causa dos motores diminutos. Mas, são quatro e têm muito para dar ao pequeno aparelho. Notarão que este avião não tem uma grande envergadura de asas, mas compensa com a sua posição superior e trem de aterragem robusto, ideais para aterragens e descolagens curtas em pistas improvisadas. Também notarão que os motores não possuem reverses, algo que é perfeitamente mitigado pelo seu invulgar mas emblemático freio aerodinâmico na cauda.

A Just Flight replicou uma vez mais este aparelho com precisão. Não só temos uma recriação fiel do aspecto geral, temos também todos os sistemas essenciais simulados, contabilizando muito poucas omissões. Uma delas, mais uma vez, é o radar meteorológico, ainda impossível de criar no Microsoft Flight Simulator, até que o Asobo Studio decida implementá-lo no simulador. De resto, já mencionei o EFB instalado, temos um funcional FMS, um painel analógico de elevada qualidade, sistemas eléctricos, hidráulicos e de controlo recriados integralmente e muito mais.

Para esta recriação, a Just Flight usou um BAe 146 da British European Airways como referência, removido do serviço em 2000 e preservado no museu de Havilland, além de dois modelos militares da Royal Air Force. Temos aqui oito variantes desta aeronave, os -100, -200 e -300 de passageiros, o -200QC e QT de carga e os militares CC.Mk2 e C.Mk3. As diferenças entre painéis são irrelevantes, mudando a performance, autonomia e velocidades entre as variantes. No exterior, porém, as diferenças são notórias, inclusive na extensão de cabine e portas de acesso.

O modelo aposta numa elevada resolução de texturas, num misto entre 4K e 8K, com recurso às mais recentes tecnologias (como a PBR – Physically Based Rendering) de elevadíssima qualidade. Há poucos elementos negativos para apontar para o que temos a bordo ou no exterior. Todas as animações são fluidas, entre flaps, spoilers, trem de aterragem e, claro, o mítico freio aerodinâmico. A iluminação, os efeitos visuais de reflexos e outros detalhes cosméticos, complementam a qualidade geral.

Só tenho uns quantos reparos a fazer, pormenores que podem saltar à vista quando avaliamos a qualidade geral. O mais gritante acontece no interior da cabine de passageiros, com fracas texturas dos bancos. Esta é, aliás, uma questão já vista noutros add-ons deste simulador, pelo que pode nem ser culpa da Just Flight. Também notei que, por vezes, nas texturas nocturnas, notam-se “bleeds” de luz em alguns instrumentos, criando um efeito estranho de pixelização em alguns ângulos. Isto é notório, por exemplo, nos painéis laterais dos pilotos.

Operar o BAe 146, em qualquer uma das suas variantes, é um prazer. Graças ao seu robusto FMS e EFB, podemos simplesmente importar o plano de voo criado no Simbrief e depois voar quase todo o voo em operação automática (VNAV e LNAV) com total integração de coordenadas, SIDs e STARs e radio-ajudas. Apenas tive de ler bem o manual fornecido, porque, de facto, este não é um Airbus ou Boeing. Embora haja muita familiaridade em vários segmentos, os sistemas são muito seus, especialmente no que toca ao seu complexo painel de tecto.

Um dos aspectos que mais gostei neste add-on, foi a sua sonoridade. O ruído dos motores é fantástico e faz jus ao nome “Whisper Jet”. Embora nunca tivesse voado pessoalmente neste aparelho, a envolvência do áudio é fenomenal, incluindo ruído da operação dos painéis, o som do vento na fuselagem, movimento de superfícies de controlo (incluindo o “sopro” característico dos flaps) e até mesmo com impactos na fuselagem. Isto, sem contar com os sons da tripulação de cabine e de co-piloto, que completam a envolvência sonora.

Veredicto

Há um bom motivo para este add-on ser um dos maiores best-sellers do momento para o Microsoft Flight Simulator. O Just Flight 146 Professional é um trabalho de dedicação da produtora Britânica, uma ode ao rigor técnico e à precisão, só possíveis com anos de desenvolvimento. Depois de outros simuladores, esta é a edição derradeira do “Whisper Jet” e é absolutamente recomendada para todos os que querem um bom desafio a voar algo verdadeiramente único e tão bem simulado.

A versão de testes usada para esta análise, foi gentilmente cedida pela Just Flight. Podem adquirir este add-on na loja oficial da empresa que podem visitar aqui. Este avião está também disponível para Prepar3D V4 e V5 e para X-Plane 11.