Num evento inédito em Portugal, a Worten em conjunto com o Rock In Rio trouxeram para Lisboa um espaço de gaming que pretendia ser uma autêntica “cidade de jogos”. Estivemos no Worten Game City e contamos como foi a experiência.

Esta empresa do grupo Sonae, mais habituada às grandes superfícies de venda, tem vindo a apostar forte nos videojogos. Não só as suas lojas possuem espaços privilegiados para os gamers, como a sua presença se faz sentir em alguns eventos em Portugal, especialmente através do Worten Game Ring que percorre eventos como a Lisboa Games Week, por exemplo. Esse empenho trouxe-nos neste ano esta Game City, cujo objectivo e alcance parece bem mais amplo.

O espaço seleccionado foi o da Cordoaria Nacional, um edifício histórico, uma antiga fábrica de cordas da Marinha Portuguesa, agora tornada espaço privilegiado para eventos e acontecimentos. Dada a quantidade de expositores, achamos que o espaço foi adequado à dimensão, mesmo que a sua localização e condições no espaço não tenham sido as melhores, sobretudo pelo calor que se fez sentir. Ainda assim, a organização fez o que podia, colocando mesmo grandes ventiladores nas principais entradas.

Quanto à oferta para os visitantes, a organização falou de 30 horas (em média) de diversão em todo o espaço e não queremos duvidar desta promessa. Os jogos que estavam disponíveis entre os principais expositores, com a Sony PlayStation, Nintendo, Microsoft Xbox, AOC/Razer, Upload Distribution, entre outros, de facto colocaram à disposição dos visitantes dezenas de títulos para jogar. Se totalizaram 30 horas para cada visitante, fica a questão, sabendo que os postos para jogar não eram assim tantos e chegaram a haver filas para experimentar. E nem todos os espaços tinham algo realmente novo para experimentar.

No rigor, este é um evento um tanto “outsider” em termos de timing nos grandes eventos anuais. Este não foi um evento para grandes revelações ou primeiro contacto com inéditos. Na maior parte dos stands estavam jogos já consolidados no mercado, com alguns títulos recentes. Mas, não era aqui que as grandes marcas iriam mostrar algo novo. Este foi, para todos os efeitos, uma feira de diversão para miúdos e graúdos, num espaço onde se celebraram os jogos do momento. E, por vezes, é só isso que os visitantes querem: jogar.

Entre os títulos, estavam o fantástico Days Gone da PlayStation, o brutal Mortal Kombat 11, o divertido Smash Bros., os rivais FIFA 19 e PES 2019 e tantos outros títulos. Bastava pegar no comando livre e experimentar. No espaço, também estiveram imensas novas tecnologias, com os jogos do habitual PlayStation VR, mas também com uma sala escura onde foram demonstradas algumas novas tecnologias VR de imersão total, como os sistemas Omni que nos deixaram boa impressão.

Como esta era uma festa, mais que uma área de exposição, não podiam faltar os locais de lazer e… laser… laser tag, na verdade. Além disto, houve espaço para diversas empresas mostrarem o seu lado lúdico, com algumas actividades paralelas e passatempos. Bem lá “no fundo” do edifício, a Worten apostou forte nos eSports, com algumas finais importantes de CS:GO e League of Legends a decorrerem num auditório um tanto desprovido de cadeiras… E não faltou a habitual animação trazida pela cultura pop e Cosplay.

Como já dissemos, o espaço não foi, claramente, o melhor possível para um evento desta dimensão. Entendemos porque estes eventos ocorrem quase sempre em Lisboa, por uma questão de centralidade da procura. Ainda assim, há melhores localizações para estes eventos na Capital, nem que seja pela facilidade de acessos e pelas próprias condições do espaço. Por vezes estas questões condicionam bastante os eventos que, de outra forma, até podiam ter maior afluência.

Apesar disso, nenhum mérito pode ser retirado da organização por ter criado um espaço tão interessante e repleto de actividades para os apaixonados pelo tema do Gaming. Por vezes, os eventos não precisam ser mais que um local para os entusiastas se reunirem em volta do que mais gostam. Imaginem a Worten Game City como um enorme parque de diversões do que mais gostam de fazer em casa. Mas, aqui estavam na companhia de outros jogadores e com a acesso privilegiado aos melhores jogos e equipamento para jogar. Só temos pena que esta “feira” durasse apenas três dias e que, estranhamente, abrisse as portas apenas ao meio-dia.