Mais do que um piloto, Ayrton Senna é uma lenda. Uma inspiração para muitos pilotos de hoje em dia. Se hoje estivesse connosco, comemoraria o seu 55º aniversário.

O tri-campeão esteve no auge da sua carreira no final dos anos 80 e início de 90. Se fizermos as contas, eu tinha pouco mais de 7 anos, no dia em que aconteceu o trágico acidente em Ímola. Recordo-me perfeitamente de assistir ao embate e tenho pena de não ter mais memórias das suas incríveis corridas que fui conhecendo ao longo de dezenas de documentários.
Como o meu pai e o meu tio são grandes fãs de Ayrton Senna, acabei por ganhar uma grande estima pelo piloto.

Hoje, ele comemoraria o seu 55º aniversário  e achei que era o melhor momento para recordar o seu jogo para a Mega-Drive.

Trailer japonês de Ayrton Senna’s Super Monaco GP:

Depois da Sega estar bem estabelecida no mercado americano e europeu, percebeu que a associação de uma personalidade a um jogo atraia o consumidor. Exemplo disso foi o que aconteceu com o Michael Jackson, no jogo Moonwalker. A Sega quis repetir a mesma fórmula, associando o nome do piloto à sequela de Super Monaco GP, um jogo que teve uma boa aceitação nas arcadas e uma óptima adaptação para a Mega-Drive em 1989.

gceara-ayrtonsennaAntes de Super Monaco GP ter qualquer ligação com Ayrton Senna, existia um adversário misterioso na segunda temporada e que, durante muito tempo, foi considerado como invencível. Ele era chamado de G. Ceara e como podem ver pela foto, a inspiração deste piloto foi bastante óbvia.

A sequela ficou então marcada pela colaboração de Ayrton Senna. Para além de associar a sua imagem, era imprescindível que o tri-campeão participasse na sequela do jogo. E assim foi, o piloto acabou por participar na produção. Para além de emprestar o seu nome e imagem, ajudou com informações técnicas sobre os carros, sobre as pistas e ainda deu dicas sobre a travagem e ultrapassagem.
Para o jogo, foram recriadas várias imagens do piloto e a sua voz foi digitalizada para momentos como “Go!” e “Congratulations“. Estas contribuições para o jogo não só trouxeram mais realismo como também ofereciam mais imersão ao jogador.

Comparado com o seu antecessor, Super Monaco GP II tinha melhor jogabilidade e gráficos que tornavam o jogo mais realista (dentro do possível). Contudo, haviam algumas mecânicas que deixavam os jogadores aborrecidos. Por exemplo, ao bater num adversário a velocidade era reduzida drásticamente e todos nós sabemos que os segundos são preciosos na Formula 1. Contudo, o jogo foi muito bem recebido pela crítica, foi considerado o jogo mais realista nas consolas e tendo em conta que tinha a participação do Ayrton Senna, tornou-se muito popular.

Ayrton Senna’s Super Monaco GP II, tem vários modos diferentes: Senna GP, World Championship e Free Practice. Com a possibilidade de conduzir carros com caixa automática ou manual, variando entre 4 e 7 velocidades.
Em Senna GP espera-nos uma única corrida em três pistas desenhadas pelo próprio piloto. Uma delas é o Kartódromo particular de Ayrton Senna, um réplica criada através das descrições do piloto. As outras duas são fíctícias.
No modo World Championship, é possível competir contra 15 pilotos que formaram a temporada de 91. Apesar de não terem o nome oficial, devido a licenças, é fácil perceber quem é quem. Pela primeira vez, era possível conduzir em várias pistas enquanto chovia.
Por fim, Free Practice, é exactamente o que o nome indica. Um modo que nos permite praticar em qualquer pista.

O jogo não envelheceu muito bem, verdade seja dita mas, se o jogaram na altura, certamente que sentirão um grande sentimento de nostalgia. Principalmente numa data como a de hoje.
Senna, teve outros jogos em sua homenagem, incluindo no mais recente Gran Turismo, mas este foi o primeiro de todos.

Para acabar deixo aqui um incrível vídeo em CG com todos os carros que o piloto conduziu.

Parabéns Ayrton Senna!