Insólito – China censura o gaming online em larga escala

143

O Partido Comunista Chinês, na prática o governo deste país, acaba de elevar o nível de censura ao extremo, com medidas de estrangulamento extremas no acesso da sua população ao gaming online com o resto do mundo. Em causa está uma situação gerada em… Animal Crossing: New Horizons.

O simpático jogo da Nintendo foi o improvável centro de uma enorme polémica. Numa das sessões online do jogador Joshua Wong, um conhecido activista pró-democracia residente em Hong Kong, a mensagem “Free Hong Kong” ou “Libertem Hong Kong” foi escrita usando as ferramentas do jogo. E, não se ficando por aí, o jogador ainda escreveu “Revolution Now” ou “Revolução Agora” e colou a imagem do presidente chinês Xi Jingping, o que pode ter sido, eventualmente, a gota de água.

Wong foi apenas o mais exposto dos vários jogadores deste país que também se manifestaram em jogo desta forma. Animal Crossing pareceu agir como um hub de activismo e as suas áreas públicas passaram a ser autênticas zonas de protesto. Sim, um jogo que tenciona ser tudo menos político, acabou alvo de activismo e… da ira de Pequim, que não tardou a agir de uma forma algo inesperada.

Inevitavelmente, Animal Crossing está banido na China desde 10 de Abril em resultado destas manifestações. Mas, entretanto, o governo Chinês foi mais longe por decretar o controlo e limitação de toda a jogabilidade online para fora do país. Sim, leram bem, todos os jogos com conectividade online às redes mundiais, estão agora debaixo de escrutínio da máquina de censura Chinesa.

Todos os jogos que possuam personalização de equipamento, criação de grupos ou guildas, chatrooms e outras funcionalidades sociais, são agora todos controlados e filtrados, com o objectivo de censurar mensagens consideradas negativas por Pequim. Além disso, todos os jogadores são agora obrigados a usar os seus nomes verdadeiros online, mesmo em jogos online sem uma componente social concreta.

Também jogos que possuem palavras-chave como “zombies”, “morte”, “matar”, “fantasmas”, “mal”, entre outras, passam a estar proibidos na China. E todos os jogos na China passam a estar bloqueados por região, o que, na prática, é uma espécie de banimento total da ligação com o resto do mundo. Contudo, aqui não ficou claro até que ponto este banimento vai mesmo inibir totalmente os jogadores de ligações exteriores.

Ou seja, no conjunto de medidas do governo de Pequim, quase toda (senão toda) a jogabilidade online para fora da China parece inibida ou, na melhor das hipóteses, restrita. Tudo, aparentemente, por causa de algo que aconteceu num jogo que, basicamente, fala de fazer amigos e ligar-se com eles em harmonia. Irónico.

Recordamos que a China tem vindo a censurar e a pressionar editoras e produtoras à volta do mundo para travar as expressões de activismo de jogadores. O governo Chinês é também bastante activo a censurar e banir jogos que vão contra a sua visão política ou social. Recentemente, proibiram o jogo Plague Inc. por “conteúdo ilegal” que nem esclareceram a produção qual seria.