Desafio Gamer 250 Dias – Dia 6

1555

Dia 6 – Um game da sua equipe/marca preferida

O clique do rato pode ser algo entediante se tivermos a trabalhar, clicar na folha de excel ou no outlook é algo que não nos satisfaz diariamente, não é verdade?  Mas esta mesma mecânica de clique aqui, clique ali foi usada em 1997 pela Blizzard num dos meus jogos favoritos, o Diablo!

Escolhi Diablo para este desafio, porque a Blizzard é uma das minhas produtoras favoritas, fazem excelentes jogos e eu gosto maioritariamente de todos que lançaram desde a altura que se chamavam Silicon & Synapse. Digo maioritariamente porque não consigo gostar de World of Warcraft… sim é verdade! Mas deixo a minha razão para outro artigo. 

Sempre que existe um clique no Diablo, somos de imediato premiados com algo, pode ser esquartejamento de criaturas que se desfazem deixando um monte de ossos, pode ser para apanhar ouro ou para simplesmente mover a nossa personagem para onde o clique foi feito. O clique no Diablo é valioso e vão dar por vocês a clicar, clicar e clicar freneticamente.

Diablo passa-se num mundo fictício de Sanctuary onde o paraíso e o céu são locais físicos e os anjos e demónios estão em guerra há séculos. Durante a ascensão do homem, ambas as partes tentaram persuadir os humanos para a guerra, mas sem sucesso até que um motim traiçoeiro forçou os 3 príncipes do inferno, incluindo o próprio Diablo, a irem para o mundo da humanidade, onde acabaram por provocar o caos, desconfiança e ódio.
Com a ajuda do arcanjo Tyrael, um grupo de 3 magos conseguiu aprisionar Diablo e seus irmãos em Soulstones (uma espécie de runa cintilante). Para assegurar que não fossem libertados, as 3 soulstones foram enterradas bem fundo na terra e um mosteiro foi construído à sua volta para as proteger.

Gerações passaram e o objectivo do mosteiro foi esquecido. Uma pequena cidade chamada Tristam cresceu sobre as ruínas do mosteiro enquanto um religioso rei, construía uma catedral sobre as ruínas servindo de casa para a sua poltrona. Subitamente, criaturas e demónios começaram a surgir durante a noite em Tristram, acabando por raptar o filho do rei Leoric e levando-o para as profundezas da catedral. Revoltado com a situação e convicto em salvar o seu filho, Leoric juntou o seu exército e o seu arcebispo Lazarus para uma expedição em busca do príncipe.
Os aldeões de Tristram começaram a ficar preocupados, vários dias passaram e não havia sinal nem do rei nem do seu exército e ninguém tinha a ousadia e experiência para descer as escadas da catedral em busca de sobreviventes.

Tristram rapidamente tornou-se numa cidade de medo e terror, pessoas continuavam a ser raptadas durante a noite e sem o seu rei, sem lei e sem o exército para os defender, muitos aldeões optaram por fugir.
Os rumores sobre Tristram espalharam-se rapidamente e muitos caçadores de demónios e outros futuros heróis traçaram o seu destino junto da catedral. Muitos perderam a vida a tentar erradicar as ameaças de demónios até que finalmente um guerreiro, um mago e uma feiticeira conhecida por Blood Raven juntaram forças para percorrer os labirintos debaixo da catedral.
Atravessaram as masmorras, derrotaram o gigante Skeleton King (outrora o rei Leoric) e o arcebispo Lazarus até que finalmente chegaram ao inferno repleto de monstros e demónios culminando na batalha final onde venceram o gigante Diablo.

Mas é claro que Diablo e a história de Sanctuary não se ficou por aqui. A história continua pelos 3 jogos, cada um melhor que outro!
Posto isto, acho que o sucesso de Diablo se deve à simplicidade da jogabilidade e da sua história cativante, mais uma vez a Blizzard acertou em cheio como fez com vários dos seus jogos como Warcraft, Starcraft, The Lost Vikings e muitos outros.

Se não perceberam o desafio leiam aqui a explicação.