Dicas WASD para uma melhor experiência em Hearthstone

4102

Aquando do lançamento de Hearthstone, o TCG da Blizzard, fizemos aqui no WASD um artigo a explicar todas as componentes deste título. A primeira expansão single-player de Hearthstone, está quase a chegar e pensámos que esta seria uma boa altura para ajudar aqueles que começaram agora a aventurar-se neste título. Assim, vamos deixar algumas sugestões que vos podem levar a um melhor desempenho e que vos deixem preparados para os Bosses que irão encontrar em The Culling of Naxxramas. Antes de mais, o que precisam de fazer é:

Construir um baralho de acordo com o vosso estilo de jogo

Antes de começarem a escolher quais as cartas que irão fazer parte do vosso baralho, têm primeiro de escolher qual vai ser a vossa classe. Confusos? Passo a explicar.

A cada baralho corresponde uma classe e ao escolherem ganham acesso a algumas cartas específicas que diferem das de outras classes. Ao todo são nove classes que podem escolher, cada uma delas representada por um herói do mundo de Warcraft, Jaina Proudmoore/Mage, Garrosh Hellscream/Warrior, Thrall/Shaman, Malfurion Stormrage/Druid, Rexxar/Hunter, Valeera Sanguinar/Rogue, Gul’dan/Warlock, Uther the Lightbringer/Paladin e Anduin Wrynn/Priest.

Escolhido o vosso Herói ou classe, precisam de escolher as cartas específicas e neutras (cartas que podem ser utilizadas por todas as classes) que irão fazer parte do vosso baralho. Aproveito também para dizer que além das cartas específicas, cada herói tem uma habilidade específica que pode utilizar dentro do jogo. Enquanto que a Jaina pode lançar uma bola de fogo, causando 1 ponto de dano, Gul’dan pode sacrificar dois pontos de vida e ir buscar mais uma carta ao baralho.

Resta-vos então escolher o tipo de baralho que vão utilizar. Ao todo são 4 as variantes que podem escolher:

  • Aggro ou Rush Deck – Este é um dos mais utilizados. Este tipo de baralho é utilizado por jogadores que querem chegar à vitória o mais depressa possível, provocando a maior quantidade de pontos de dano que conseguirem. Para isso necessitam de uma enorme quantidade de cartas que custem pouco a entrar (tanto de feitiços como de criaturas) e que, antes de serem destruídas, consigam manter a pressão sempre do lado do nosso adversário.
  • Control Deck – Como o próprio nome indica, este é um baralho que tem como objectivo controlar o tabuleiro, nomeadamente o que acontece no lado do nosso oponente. Com este tipo de baralho vão funcionar como a Reacção a cada Acção do vosso adversário. Sempre que ele coloca uma criatura, destruam-na. Aquela criatura que ele passou vários turnos a aumentar para que possa causar danos catastróficos? Reduzam o seu poder de ataque para apenas 1. Tudo muito bonito mas para que possam aproveitar ao máximos este baralho, precisam de cartas na mão. Quantas mais melhor, uma vez que mais cartas, significam mais opções para controlar e contrar-atacar.
  • Combo Deck – Neste baralho, vão aplicar o efeito surpresa para derrubar o vosso adversário. Têm boas cartas que funcionem como um incrível trunfo capaz de virar o jogo de forma inesperada? Aqui vão estar dependentes dessas mesmas cartas e do dano que irão provocar no nosso adversário. Quanta mais sinergia houver entre as vossas cartas mais combinações podem utilizar. Mas não se esqueçam de construir o vosso baralho de modo a que essas cartas não sejam facilmente controladas. Por muito boas que sejam as vossas combinações, se estas não forem protegidas podem ser inutilizadas e o resto, como dizem… é história.
  • Turtle Deck – O Turtle Deck funciona bastante como o Control Deck só que está mais dependente do endgame. Quanto mais dura um jogo, mais vantagens ganha este baralho. O que têm de fazer aqui é controlar o nosso adversário e aguentar todo o dano que for escapando. Isto para que quando já tiverem um maior número de cristais disponíveis, possam utilizar as cartas mais fortes que estiverem à vossa disposição. Invocar criaturas com um poder de ataque devastador derruba qualquer um, mas mesmo assim precisam de ter cuidado. Não quer isto dizer que vão encher o vosso baralho apenas com criaturas para os turnos finais. Se não aguentarem até lá, a vossa estratégia é facilmente inutilizada. Levem criaturas e feitiços que custem pouco a entrar e que permitam um bom controlo do tabuleiro até poderem invocar os vossos esmagadores trunfos.
  • Creature ou Zoo Deck – Parecido com o Aggro ou Rush Deck, este baralho foca-se em enviar um número avassalador de criaturas para o campo de batalha. Geralmente criaturas do mesmo tipo e que, como tal, funcionem bem com os seus. Falo por exemplo de Murlocs ou Beasts. Se jogam Hearthstone, certamente já ouviram falar de Beast Decks ou mesmo do famoso Murloc Deck. Enquanto que num deles têm criaturas (Beasts) que se beneficiam mutuamente, já noutro têm um exército de Murlocs prontos a derrubar qualquer um. Por norma são utilizadas várias criaturas que custam pouco a entrar, o que permite invocar mais do que uma por turno. Tudo isto culmina com o jogar outra carta que aumenta as capacidades de todas as que estão em campo. A pressão é assim enorme para quem joga contra estes baralhos mas atenção, uma vez que pode ser controlada por baralhos que tenham cartas de AOE (habilidades capazes de controlar e até mesmo destruir mais do que uma criatura do oponente).

Gastar gold ou dinheiro real para obter cartas?

É muito bonito falar em construir baralhos de sonho, mas um facto é que, para que os possamos elaborar, precisamos de cartas. Muitas vezes, vão dar por vocês a pensar “Se gastasse uma certa quantidade de dinheiro, já tinha as cartas que precisava”. Não pensem assim, até porque nem sempre é o caso. Não se esqueçam que por muitos packs que comprem, vão sempre depender da sorte quando os forem abrir. Pode até dar-se o caso de gastarem dinheiro para saírem cartas repetidas ou cartas que não servem para os vossos objectivos. Antes de pensarem em gastar dinheiro real, tenham em conta que existem objectivos dentro do jogo capazes de vos oferecer uma boa quantidade de gold:

  • Quests – Podem ter até um máximo de três em simultâneo. Cada quest tem o seu objectivo e todas oferecem gold quando as completamos. Enquanto que umas exigem que ganhemos jogos online com esta ou aquela classe, outras são mais simples e pedem por exemplo que façamos um certo número de dano aos nossos adversários. A grande maioria das quests requerem que joguemos online, em Casual ou em Ranked, e o facto de exigirem o uso das várias classes disponíveis no jogo, ajuda-nos a conhecer e a explorar melhor todo o conteúdo deste título.
  • Vitórias online – Cada três vitórias online, significam 10 de gold. Atenção que não podem ser vitórias contra os nossos amigos da friendlist.
  • Crafting – A partir do momento em que escolhem o vosso herói e o tipo de baralho que vão construir, há cartas que deixam de vos ser úteis. Desta forma, em vez de as deixarem a ganhar pó virtual, podem fazer-lhes Disenchant e transformá-las em materiais para construir outras cartas que estejam em maior sintonia com o que pretendem do vosso baralho. Atenção que quanto mais rara for a carta que querem construir, mais materiais precisam para o fazer. Não se esqueçam também de fazer Disenchant às cartas excedentes, uma vez que só podem ter dois exemplares da mesma carta no vosso baralho, ter uma terceira carta não vos serve de nada.
  • Arenas – Para participarem nas arenas, precisam de gastar 150 de gold ou 1,70€. Aqui terão de construir o vosso baralho e tudo depende da vossa sorte. Para escolher o vosso herói, terão de escolher uma das três opções que surgem no vosso ecrã. O mesmo acontece para as restantes cartas que irão fazer parte do vosso baralho. Quais acabam por ser as vantagens deste modo? Quantas mais vitórias conseguirem com o vosso baralho, melhores serão as vossas recompensas. Podem ter um máximo de três derrotas e 12 vitórias. Mesmo que percam sem alcançar uma única vitória, ganham sempre um pack de cartas e materiais de crafting. Só que com um maior número de vitórias podem até vir a ganhar cartas raras ou especiais e gold para que possam continuar a competir.

Completar quests todos dias, atingir vitórias online e competir na Arena, faz com que seja mais rentável simplesmente jogar, do que pagar e depender de uma sorte imediata que pode ou não acontecer.

A sorte favorece os audazes

Certamente já tiveram aquele jogo em que tudo parece terminado. As  opções são escassas ou até mesmo nulas e a única coisa em que pensam é em fazer concede, desistindo e avançando para outro jogo. Pensem bem antes de o fazer, muitas vezes a resposta está nas vossas mãos ou num cálculo não tão aparente mas que pode dar uma completa reviravolta ao jogo. A resposta pode muito bem estar na próxima carta que vos sair ou num erro da parte do vosso oponente. Vejam o vídeo em baixo e nunca desistam, mesmo face ao imponente Lord Jaraxxus.

A comunidade na Internet pode ser muito vossa amiga

Todos sabemos que a comunidade, seja de que jogo for, poder ser do mais tóxico que pode haver. No entanto, separando o trigo do joio, vamos encontrar sempre alguém pronto a ajudar-nos e que seja capaz de passar horas a elaborar guias que possam elucidar e ajudar a melhorar o desempenho dos seus colegas de jogo. A comunidade de Hearthstone não é diferente e por isso deixo-vos aqui dois links para dois guias, elaborados por diferentes jogadores, e que podem ajudar e muito tanto a novatos como veteranos. Há sempre algo a aprender e ao lerem estes guias, vão perceber isso mesmo.

  • HearthstoneHandBook – Com esse link, vão ficar a conhecer alguma da minha inspiração ao falar sobre os vários tipo de baralho. Também já fui um novo jogador e também eu tive de partir em busca de um maior grau de conhecimento. Aproveitem também para explorar as outras secções, sem dúvida que não se vão arrepender.
  • HearthstonePlayers – Outra malta pronta a ajudar neste caso com dicas que ajudem a melhorar o vosso desempenho nas arenas. Apesar de ser focado nesta componente de Hearthstone, vão reparar que muito do que é sugerido e indicado, serve para praticamente tudo e não só para as Arenas. Esta malta faz também um óptimo apanhado de guias de outros jogadores bem experientes deste título.

Não se esqueçam também que uma óptima forma de aprender, é observando os jogadores mais experientes. Falo por exemplo de Streamers como o Trump e Youtubers que estão sempre a mostrar as últimas novidades em termos de “manhas” e são também capazes de nos mostrar movimentos e combinações que nunca nos tinham passado pela cabeça. Aprendam com os seus momentos de confiança e aprendam sobretudo com os seus receios e hesitações.

Finalmente, resta-me sugerir a Diversão. Claro que competir é sempre divertido, mas se não se divertem a fazê-lo, jogar será mais uma actividade laboral do que de lazer. Depois de um longo dia de trabalho a última coisa que querem fazer é encarar um jogo como uma tarefa ou como outro trabalho. Por isso divirtam-se a explorar Hearthstone, explorem as classes e as várias nuances que este jogo tem para vos oferecer. Sem dúvida que não se vão arrepender. Assim, despeço-me e encontramo-nos online!