Desafio Gamer 250 Dias: Dia 23 – Killzone 2

1755

Dia 23 – Um game que te dá raiva

Nenhum jogo me deu mais raiva que o Killzone 2. Não é pelo jogo em si porque até é bastante bom, tem as suas falhas como qualquer outro jogo, mas é um jogo que recomendo.
Joguei-o até à parte final sem problemas, mas foi a parte final com o Radec que me enervou, provavelmente um dos boss finais mais difíceis! 

Eu joguei o jogo todo na dificuldade Normal, e pela primeira vez em anos de jogos fui obrigado a mudar para easy na parte final, para acabar jogo. É vergonhoso, eu sei! Mas foi a única maneira de derrotar o sacana de olhos brilhantes e os seus soldados que não paravam de surgir.

Para quem não conhece, Killzone toma lugar numa era de colonização espacial onde o império Helghast recupera a sua derrota na primeira guerra Helghan e lança um ataque conta a ISA (Aliança Interplanetária e Estratégica).
Os Helghast são uma espécie de descendente do grupo humano que colonizou o planeta Helghan há muitas gerações atrás, no entanto, com o decorrer dos anos, o ambiente do planeta fez com que o corpo se adapta-se e os helghast deixaram de ser considerados humanos.
Para respirar usam uma máscara que produz o mesmo ar encontrado no seu planeta, dando o aspecto bastante conhecido dos olhos brilhantes.

Dois anos depois da invasão, a ISA preparasse para atacar os seus inimigos, mas desta vez no seu planeta. A coisa não será fácil visto que desta vez ele estão a “jogar em casa” e é no fim que confrontamos Mael Radec, o coronel e comandante da Guarda Imperial Helghast que defende Scolar Visari a todo o custo.

O boss em si não é muito difícil  mas o cenário onde o confronto decorre parece ter sido estudado ao pormenor, surgem helghast de todos os cantos o que faz que fiquemos sem munições rapidamente e no fim temos o sacana do Radec a moer o juizo…

Vocês também tiveram dificuldade? Com licença, é agora que vou derrotar o sacana… Em normal!

Se não perceberam o desafio leiam aqui a explicação.