Clássicos na eShop #1

2798

A Nintendo eShop, é um espaço onde podemos sempre encontrar as últimas novidades sobre o universo Nintendo. Mas é também um espaço onde podemos relembrar e reviver glórias antigas graças à chamada Consola Virtual. Falo de títulos para a NES, SNES, Game Boy e até mesmo Mega-Drive. Quando dizemos glórias antigas, falamos mesmo de glórias antigas! Títulos que se tornaram ícones e que ainda hoje inspiram o mais recente estado da arte em termos de videojogos.

Desta forma, achámos que não seria ideal analisar estes títulos que regressam a nossas casas. A final de contas são considerados clássicos por alguma razão e até porque em nada foram alterados,  nem mesmo o grafismo, o que é uma pena. Foram simplesmente ressuscitados e disponibilizados para quem os quiser relembrar ou conhecer pela primeira vez. Assim, mais do que uma análise, concordámos que estes são títulos que merecem sim o seu devido destaque. Sejam bem vindos ao nosso primeiro Clássicos na eShop e o primeiro destaque vai para: 

Donkey Kong Country 3: Dixie Kong’s Double Trouble!

A trilogia Donkey Kong pode agora ser adquirida na eShop tanto para a Wii U como para a 3DS. Isto significa, claro, que a terceira e última parte da história, que saiu para o mercado no dia 22 de Novembro de 1996 para a SNES, não podia ficar de parte.

Esta é uma aventura de plataformas que é ainda por muitos considerada a melhor da trilogia de Donkey Kong para a SNES. Aqui, Donkey Kong e Diddy foram capturados pelos Kremlings. Como tal, cabe a Dixie e Kiddy Kong resgatá-los. Ao longo de toda a aventura destes dois simpáticos companheiros, vários são os aliados que vão encontrar e o mesmo se pode dizer de inimigos. Quanto à dificuldade, lembrem-se que tudo começou aqui. Por isso não contem com facilitismos. Se gostam de jogos de plataformas desafiantes, este é sem dúvida um dos clássicos que não podem perder.

Golden Sun: The Lost Age

The Lost Age o segundo da série RPG Golden Sun chega então à eShop. Saíu para o mercado no dia 28 de Junho de 2002 para o Game Boy Advance. Ao contrário do seu antecessor que vendeu mais de um milhão de cópias no Japão e Estados Unidos, a segunda entrada na série vendeu “apenas” 680,000.

Se gostam de RPGs à antiga, ou se simplesmente gostam de bons RPGs esta é uma série que não devem deixar escapar. Neste título vamos acompanhar a história de Felix, que aparenta ter uma aptidão natural para a magia, e dos seus aliados. À nossa espera como já é habitual, há todo um mundo que precisa da nossa ajuda. Males que precisam urgentemente de ser rectificados e combates que inevitavelmente têm de ser travados. Além disso, não há nada como aquela tradicional e gratificante sensação que temos ao adquirir novos poderes.

Muito ao estilo Pokémon, este título introduz na série os Djinn, seres mágicos que podem ser controlados por nós e que fortalecem a nossa personagem. Mas para isso temos de os descobrir!

Mega Man 7

Pode ser o sétimo título da série, mas é mais do que isso. Apesar de em termos de jogabilidade Mega Man 7 não se diferenciar muito dos títulos anteriores traz consigo algumas curiosidades. É neste título que se dá a primeira aparição daqueles que são, por muitos, considerados como os maiores inimigos de Mega Man: Bass e Treble.

Este título marca também a chegada do nosso amigo à SNES em 1995. A primeira actualização gráfica da série, ofereceu a Mega Man um desenho mais refinado (para a altura) e o mesmo se podia dizer dos cenários que passaram a ser bem mais interactivos.

Mega Man X3

Originalmente concebido para a SNES, este título marca a terceira e última entrada na série Mega Man X. A premissa não podia ser mais simples: “Quando se julgava ter encontrado a cura para os Reploids, estes começam a converter-se em rebeldes Mavericks.” Assim, cabe a Mega Man X impedir esta ameaça. Mas este não vem sozinho. Mega Man X3 introduz a possibilidade de jogarmos com Zero, um dos mais aclamados personagens da série (e não só).  A jogabilidade não foge à que podia ser encontrada nos títulos anteriores, vamos saltar (muito) e disparar (ainda mais) para todos os inimigos que ousem cruzar-se no nosso caminho.

E chegámos ao fim do nosso destaque. Prometemos que não ficamos por aqui, muitos mais virão de certeza! Resta-nos perguntar a vossa opinião. Muitos clássicos ficaram por mencionar e nós queremos saber a opinião da nossa comunidade! Quais são para vocês os clássicos que mais gostaram de reviver ou até mesmo experimentar pela primeira vez e quais gostariam que fossem adicionados?