Mais infoProdutora: Varsav StudiosEditora: Bigben InteractiveLançamento: 14/11/2019Plataformas: , , , Género:

Nesta incrivelmente popular loucura de “simular” algo improvável, já fomos cirurgiões trapalhões, cozinheiros e até tomámos duche com pais alheios (sim, é um jogo). Mas, num canto obscuro estiveram simuladores de pombos, cabras, gansos e… agora, abelhas. Bee Simulator é o tal jogo que ninguém pediu, mas agora todos terão alguma curiosidade.

Para dizer a verdade, a vida das abelhas é fascinante. Se acham que não tem contornos de acção ou drama suficientes para um jogo, os Varsav Studios têm outra ideia. Estes pequenos insectos convivem numa atribulada e muito complexa hierarquia, com cada elemento a contribuir para a colmeia. São exímias a planear adiantado, armazenando reservas e cuidando de si em comunidade. Existem até abelhas com papéis definidos, como as polinizadoras ou os zangões, que são o “músculo” de protecção. O enxame só sobrevive quando tudo funciona de forma organizada em torno de uma rainha. Basta uma “peça” não estar no sítio certo e toda a colmeia definha. Depois desta lição de apicultura, perguntarão: “Ok! E o jogo?” Recolham lá o ferrão que eu passo a explicar.

Vamos assumir o papel de uma das simpáticas abelhas, como é óbvio. Fica no ar a ideia que esta é uma raríssima abelha polivalente, um vez que faz de tudo um pouco. Vamos ajudar o enxame a angariar pólen através de autênticas provas de circuito (pelo ar), vamos defendê-lo contra vespas e outras ameaças, vamos fazer autênticas acrobacias e… bom, é isso. Que mais achavam que ia ser? Aqui não há tiros ou explosões, tudo tem um tom francamente juvenil, com insectos que falam e tudo. Aliás, graças à banda-sonora composta por Mikołaj Stroiński (The Witcher III), é até um jogo bastante “zen”, em que tudo é desenhado para nos passar a ideia de um mundo mágico de uma fábula.

Na descrição acima, penso que abordei tudo que podemos fazer neste título. Temos um modo de carreira para jogar a solo, ou podemos desafiar um amigo para uma competição sadia em modo de ecrã-dividido. E temos ainda um modo de exploração que age também como uma enorme lição sobre a vida das abelhas. Caso não saibam, por causa da proliferação de pesticidas, agricultura agressiva e outros factores causados por humanos, as abelhas comuns estão em vias de extinção a médio prazo. Esta é também uma excelente oportunidade de chamar a atenção para a importância destes insectos que são tão essenciais também para a nossa sobrevivência. Este é também um serviço público.

Obviamente, que todas as tarefas são feitas em voo, numa espécie de “simulador de voo” em escala reduzida. As missões de busca de pólen são como uma espécie de contra-relógio de checkpoints, francamente fáceis, assim como as corridas aéreas contra outras abelhas. Só há mesmo algum desafio nos combates, mas também funcionam de forma simples com ataques e bloqueios no tempo certo e devidamente “telegrafados”. Há uma clara intenção de simplificar, obviamente, sem aquelas “regras chatas” da Física. Mas, recordo que tudo isto acontece numa escala macroscópica em que as nossas leis não se aplicam da mesma forma. O que acaba por justificar um pouco a facilidade de manobra que nos permite fazer acrobacias mais audazes.

O “mundo” do jogo, já agora, é um parque de recreio inspirado no célebre Central Park em Nova Iorque. Por causa desta escala macroscópica, tudo parece gigante e amplamente vasto, o que nos permite uma perspectiva única. Nunca fiquei realmente maravilhado com o grafismo geral, parecendo em alguns momentos bastante simplista e, vá lá, cumpridor. Ainda assim, tudo tem um enorme cuidado e atenção nos detalhes mais importantes. Sobretudo nas pequenas protagonistas, bem modeladas e com animações credíveis. Não creio que a intenção fosse criar algo absurdamente foto-realista. Cumpre em dar-nos essa perspectiva única do mundo minúsculo das abelhas e as cores vivas e tom juvenil dão um ideia clara do seu público-alvo.

Veredicto

Este é um daqueles raros títulos que tem tanto de lúdico como de didáctico. A vida das abelhas nunca mais será irrelevante para todos os que jogarem Bee Simulator. A solo ou com um zangão amigo, vamos percorrer este “enorme” pequeno mundo destes incansáveis insectos e perceber a sua complexidade e elevada importância no ecossistema. Tudo é criado como um jogo simples, é certo, não deslumbrando em quase nada. Mas, cumpre em entreter e é uma excelente experiência para os mais novos. E quando se tornarem numa abelha, verão que… bzzzzz bz bzzz bzz bzz bzzzzzz, bzzzzz bz bz bzzzz bz!

Esta análise foi realizada com uma cópia de análise cedida pelo estúdio de produção e/ou representante nacional de relações públicas.