Mais infoProdutora: SCS SoftwareEditora: SCS SoftwareLançamento: 11/06/2019Plataformas: Género: ,

Já passámos pelo Novo México e pelo Oregon desde que começámos a trilhar quilómetros, perdão, milhas em American Truck Simulator. Tal como acontece com o seu “irmão” Europeu, este simulador de camionagem está lentamente a preencher o território que pretende reproduzir. Desta vez, vamos ao verdejante estado de Washington.

O que a SCS Software está a criar com American Truck Simulator é só mais um fenómeno de popularidade. Tudo bem, Euro Truck Simulator 2 é e continuará a ser o mais popular de todos os simuladores de camionagem, até porque é uma sequela de um outro título igualmente popular. Contudo, na sua variante Norte-Americana, este simulador tem um enorme potencial: o seu vasto território tão distinto. Já passámos por cidades costeiras  cheias de sol, depois andámos pelos desertos e zonas rochosas e agora andamos pelas zonas verdejantes da costa Oeste. A Europa tem o seu encanto, com cada país a ter o seu próprio apelo. Mas, viajar pelos estados Americanos é uma experiência única. E mal posso esperar fazer uma viagem costa-a-costa, de preferência no que resta da famosa Route 66.

O Estado de Washington. Se lermos a sua descrição, parece-nos francamente semelhante ao Oregon para dizer a verdade. Sendo estados vizinhos, é normal que partilhem as zonas verdes florestais e também as cidades energéticas. Neste estado, está situada a famosa cidade de Seattle, por exemplo. E é óbvio que uma das zonas mais famosas é mesmo a mítica fábrica da Boeing em Everett. Quando este DLC foi anunciado, fiquei entusiasmado com a ideia de poder carregar peças de avião para o mítico Boeing Field, aproveitando o DLC de “Special Transport” que nos permite levar carga extra-larga com escolta policial e tudo.

Contudo, Washington não é só composto de cidades. Tal como em Oregon, também temos largas e densas zonas de florestas, que também alimentam uma rica indústria madeireira. Apropriadamente, com esta expansão também se estreia o pacote “Forest Machinery” que nos permite carregar máquinas e veículos desta indústria florestal. Depois temos imensas zonas fantásticas, desde pequenas vilas pitorescas, vastas paragens de camiões (truck stops), quintas e outros locais com trabalhos de entrega para executar. Só tenho mesmo pena que a fronteira com o Canadá nos impeça de a transpor. Talvez para uma próxima expansão no futuro.

No fundo, é para isto que servem as expansões de território de American Truck Simulator, dar-nos mais áreas para percorrer e mais trabalhos para executar. Não se pode pedir mesmo mais nada destes DLCs. O título da SCS é, já de si, robusto quanto baste, com conteúdo de qualidade e uma simulação credível de camiões e das suas actividades. Por esta altura, ATS tem já diversos camiões personalizáveis de três marcas e vários modelos. Tem também um recente add-on de trailers igualmente personalizáveis. Tudo no jogo base, que só é expandido em cada DLC no tipo de carga e de trabalhos disponíveis.

A carreira de condutor e gestor de empresa de camionagem também tem vindo a expandir-se, com diversas adições de trabalhos cada vez mais diversificados e com o seu nível de dificuldade. E no plano técnico, ATS, tal como ETS2, tem vindo a ser melhorado e aperfeiçoado a cada actualização de título. Depois é o rigor visual que cada novo DLC no traz. Basta olhar para as imagens de promoção que partilho aqui e entendem o que digo. Embora nem tudo seja francamente fiel à realidade, as empresas são fictícias, assim com alguns edifícios mais “comerciais” (em vez de Boeing, temos “Darwing”, por exemplo), quebram um pouco a imersão. Mas, nada que uns quantos mods não resolvam, já sabem.

Vamos ao conteúdo, que é isso que nos interessa. Ao todo, a SCS recriou mais de 3800 milhas (mais de 6100 km) de estrada e cenário circundante. Nesse cenário, vão encontrar 16 cidades, entre elas as já mencionadas Seattle e Everett, mas também Vancouver, Tacoma, Spokane e muitas outras recriadas, já sabem, numa escala menor. Além disto, encontrarão dezenas de pontes, paragens e pontos de interesse únicos da região. Por exemplo, o Ferry de Port Townsend, a ponte suspensa de Everett, a barragem de Grand Coulee ou as icónicas montanhas de Mount Sr. Helen e Mr. Rainier.

Em termos de trabalhos para a nossa empresa de camionagem, nada como novas propostas específicas. Dada a grande actividade da indústria marítima de lazer, teremos inúmeros trabalhos de reboque de barcos e veleiros. E nas quintas há também muito transporte específico para esta indústria de agricultura e pecuária. Obviamente, procurei um trabalho para ir a Everett, para levar uma fuselagem de helicóptero à Boeing (perdão, “Darwing”) e também andei pelo interior a entregar madeira e equipamento em estradas desafiantes e algo estreitas para o meu camião de várias toneladas. Um contraste bem vindo.

Veredicto

Califórnia, Nevada, Arizona, Novo México, Oregon e agora Washington, muita estrada para percorrer. A minha principal questão com American Truck Simulator é que tenho de dividir o meu tempo na gestão da outra empresa que tenho em Euro Truck Simulator 2.  O que diz muito da qualidade do trabalho da SCS Software neste dois jogos. São simuladores com vastas horas para desfrutar, com um preço nada caro no simulador base e mesmo estas vastas expansões têm também um preço simpático. Algo raro, numa era em que cada DLC tem quase o custo de um jogo final.

Esta análise foi realizada com uma cópia de análise cedida pelo estúdio de produção e/ou representante nacional de relações públicas.