Vivendi desiste de tentar adquirir a Ubisoft

316

A oferta de compra hostil esteve prestes a realizar-se mas a Ubisoft defendeu-se bem.

O consórcio multimédia Vivendi há já algum tempo que estava a tentar adquirir a maioria accionista da produtora e editora Ubisoft. Temendo que a sua liberdade criativa fosse posta em causa, a Ubisoft tomou algumas medidas que agora, pelos vistos, tiveram efeito.

De acção em acção, a Vivendi ia ganhando cada vez mais notoriedade nos rumos possíveis da Ubisoft. O consórcio chegou a deter 27.3% das acções totais da Ubisoft e poderia avançar com uma compra se atingisse os 30%, de acordo com a Lei Francesa. A estratégia de compra predatória de acções a investidores levou mesmo a Ubisoft a oferecer-se para comprar de volta de mais de quatro milhões de acções no final do ano passado.

Contudo, graças à defesa da Ubisoft, a Vivendi anunciou o fim da tentativa de controlo da editora, acordando na venda de acções, cada um num valor de 66€. A acção de retoma de acções da Ubisoft vai agora adquirir uma parte dessas acções, enquanto que o resto será dividido entre vários accionistas, entre os quais os fundadores desta empresa, os irmãos Guillemot.

São boas notícias para a Ubisoft, no final. Apesar do pesado investimento de recuperação de património que, no rigor,  já era seu, garante assim que não será vendida a uma qualquer empresa gigante dos média, condicionada que seria em termos criativos. Por vezes, estas compras podem dar bons resultados, mas também temos casos de produtoras e editoras que ficam tão condicionadas e chegam mesmo a encerrar actividade.