Mais pormenores para Battlefield V

344

Novidades em todos os modos, o adeus ao Premium e às caixas de loot e a aposta num modo de carreira a solo.

Viram o trailer ontem? Agora que a poeira assentou, a DICE e a Electronic Arts partilharam mais informações acerca de Battlefield V. O seu conteúdo, modos de jogo e outros pormenores interessantes parecem antever mais um excelente jogo nesta série.

As novidades são muitas, demonstrando que a produção tem ganas de continuar a inovar e não resumir-se a andar “ao sabor do vento”. A dada altura, surgiram diversos rumores que este próximo jogo não teria uma campanha a solo e que os modos multi-jogador iriam “imitar tendências”. Parece que pelo menos estes rumores saíram “ao lado”.

Battlefield V terá sim uma campanha a solo, como teve Battlefield 1 anteriormente. Segundo a DICE, o foco irá estar em batalhas pouco conhecidas da Segunda Guerra Mundial, mantendo a estrutura de capítulos e episódios com personagens diferentes, conforme tivemos no jogo anterior.

Uma delas mostra a saga de uma jovem da Resistência Francesa que tenta salvar a sua família em 1943. As demais histórias em jogo irão retratar diversos eventos históricos passados desde 1942 em pleno auge da guerra. Desde assaltos de paraquedistas a combates com tanques, em diversos eventos menos conhecidos ou retratados em videojogos desta era.

Desde Battlefield 3 que sentimos a falta de um importante modo de jogo. O modo cooperativo permite uma acção PvE interessante e estará de volta em Battlefield V, melhor que nunca, segundo o que a produção promete.

Este novo modo cooperativo chama-se de “Combined Arms” e junta até quatro jogadores naquilo que a DICE descreve como uma mistura entre modos conhecidos de multi-jogador e objectivos do género dos que encontramos na campanha a solo.

Infelizmente, a DICE não mostrou muitos pormenores adicionais do que este modo cooperativo trará, mas ficou a promessa de mais informação nas próximas semanas e meses até ao lançamento.

Claro que o modo que todos os fãs anseiam por saber mais é o multi-jogador online. Saibam que o popular modo com objectivos Operations fará também um regresso, desta feita intitulado de Grand Operations, igualmente para 64 jogadores em simultâneo (32 vs 32). Este modo irá seguir as mesmas mecânicas de Battlefield 1, com diversas batalhas em fases com foco na conquista de território, replicando batalhas reais deste conflito histórico. Contudo, há importantes diferenças anunciadas.

Uma delas é que agora existiram modos de jogo diferentes em cada sessão, alguns com regras personalizadas. Uma das operações demonstradas é um assalto de paraquedistas em que, se o jogador decidir não fazer respawn num outro jogador do seu esquadrão, é obrigado a saltar de novo do avião. Noutra fase, os jogadores podem começar apenas com um carregador de munição e só angariam mais de inimigos caídos. É só um exemplo das regras personalizadas.

Os demais modos populares farão também o seu regresso. Contudo, imensas alterações na jogabilidade estão previstas e é preciso ter em conta. Estas poderão ser boas notícias ou não, dependendo da vossa disponibilidade para abraçar as mudanças que a DICE está a preparar.

Uma das principais novidades é que agora todos os jogadores podem fazer revive a elementos do seu esquadrão, independentemente da classe. Isto implica que os médicos tenham um papel menos preponderante, embora façam revives mais rápidos e continuem a oferecer medikits em exclusivo. Ah! E agora podem arrastar jogares feridos para outro local.

Contem também com a nova capacidade de construir fortificações e trincheiras com recurso a uma nova ferramenta. Serve também para erguer protecções de defesa como arame farpado, sacos de areia e armadilhas. Todas as classes podem fazer esta tarefa, mas a classe de suporte é a que mais poderá contribuir.

Outra mecânica interessante é que agora as armas montadas, como canhões, metralhadoras pesadas, anti-aéreas ou obuses, podem agora ser movidas para outros locais. Esta novidade, aliada à construção de fortificações pode ser algo abusada se a DICE não introduzir algumas limitações. Veremos.

A produção também mencionou que diversas novas animações e mecânicas de movimentos estão a ser trabalhadas. O intuito será dar mais realismo à movimentação. Uma delas é a capacidade de rastejar de costas, por exemplo. Algo que até pudemos ver em acção no trailer de ontem. Desde que não incluam parkour, por nós tudo bem.

Todas estas novidades parecem demonstrar o forte interesse da DICE em continuar a oferecer a melhor experiência em First Person Shooters com foco no realismo. Continuará sempre longe de outros jogos mais tácticos, mas o compromisso na acção é muito interessante e continua bem acima do que a concorrência persiste em trazer.

Numa nota igualmente interessante, a EA anunciou que este jogo não irá conter nenhum passe Premium. Anteriormente, todos os jogos recentes da série continham um passe de época para obter os mapas adicionais sem mais custos. Isto criou sempre uma divisão séria entre os jogadores, nem que fosse porque havia um desfasamento no lançamento dos mapas para os jogadores Premium.

Agora, todos os DLCs serão lançados em simultâneo e sem quaisquer custos adicionais. E também vão acabar as caixas de loot com itens cosméticos. Parece que a EA aprendeu a lição com Star Wars Battlefront II. Contudo, ficou no ar a ideia que a “monetização” do jogo pós-lançamento será uma realidade e a EA promete mais informação no futuro próximo. Talvez itens cosméticos comprados com microtransacções?

Battlefield V será lançado no dia 19 de Outubro na PlayStation 4, Xbox One e PC. Quem comprar a versão Deluxe, começa a jogar no dia 16 de Outubro e quem subscrever o serviço Origin Access pode jogar logo no dia 11 de Outubro na trial exclusiva.