Electronic Arts arrisca processo do governo Belga

292

Na partida entre a EA e o Governo Belga, a editora arrisca-se a sofrer um penalty.

Naquilo que só podemos chamar de “guerra” contra as “caixas de loot” compradas em micro-transacções, os governos Alemão, Suéco, Holandês e muitos outros têm vindo a colocar estes formatos comerciais debaixo de escrutínio. Contudo, o governo Belga foi mesmo mais longe por deliberar que são mesmo jogo ilegal. Mas, parece que a gigante Electronic Arts “não recebeu o memorando”.

Em causa está uma recusa da EA em cumprir a nova legislação do governo Belga e remover os pacotes de cartas aleatórias no modo de jogo FIFA Ultimate Team no actual FIFA 18. Segundo a informação avançada pelo site Nieuwsblad, não só a EA recusou remover o conteúdo desse jogo, como também não tenciona removê-lo do próximo FIFA 19.

Isto porque a produtora e editora não considera as cartas do FUT como sendo “caixas de loot”, alegando que os jogadores “sabem o que podem ganhar”. Alternativamente, a empresa prometeu divulgar as probabilidades técnicas de ganhar as cartas em cada pacote e frisou que não existe venda de cartas em jogo. Só que a Comissão de Jogo Belga não se moveu e exigiu a remoção deste conteúdo.

Assim, perante a recusa e seguindo a recomendação apresentada ao Ministro da Justiça Belga Koen Geens no passado mês de Abril, a Comissão apresentou um processo na Procuradoria Belga para que a EA seja processada por incumprimento. Até à data, é só o que sabemos mas é bem possível que nos próximos dias tenhamos mais algum desenlace.

A punição com multa (até 800.000€) é o caminho mais provável, mas a deliberação do Ministro também menciona a prisão efectiva (até 5 anos). E ainda não se falou da proibição da venda dos dois jogos, o que seria uma perda financeira considerável, além de outras repercussões. Se o precedente for aberto, a EA também arrisca outros processos noutros países. Se bem que a França tenha outra opinião