Autor da série The Witcher exige pagamento de direitos

204

Oportunismo? Falha de contrato? Parece que só o tribunal pode decidir.

É sabido que o escritor Andrzej Sapkowski tem uma relação estranha com a CD Projekt RED, a editora e produtora dos jogos da série The Witcher. O criador de Geralt exige agora um pagamento exorbitante pelos direitos, valor que a produtora Polaca recusa pagar.

Na altura da produção dos jogos, foi dito em público que Sapkowski ficou-se por exigir um montante fixo em troca dos direitos, prescindindo de uma percentagem nas vendas. A relação do autor com os jogos foi sempre de desdém público, recusando qualquer tipo de associação, tanto com a história, como com as opções artísticas neles contidas.

Contudo, segundo este autor, o valor pago pela CD Projekt RED lá atrás apenas cobria os direitos relativos ao primeiro jogo. Agora, alega que estão em falta 60 milhões de zlotys Polacos (quase 14 milhões de Euros) para a produtora pagar, fazendo contas entre 5% a 15% dos lucros dos jogos vendidos posteriormente.

A CD Projekt RED já se pronunciou sobre o sucedido, alegando que a empresa é da opinião que “a solicitação não tem fundamento quanto ao mérito, assim como ao montante estipulado”. O comunicado acrescenta ainda que “os direitos foram legalmente adquiridos (…) apenas no que foi requerido para usar em jogos produzidos pela empresa”, garantindo que todos os montantes foram “apropriadamente pagos”.

O comunicado da empresa diz que “deseja manter boas relações com os autores”. Anuncia que está aberta a resoluções amigáveis, mas que sejam “respeitadoras de intenções previamente estabelecidas por ambas as partes, além de contratos já existentes”. Só que a firma que representa o escritor, não pretende negociações.

A firma de advogados diz em comunicado que a solicitação “é atípica” mas que é um processo de longa data e que estão dispostos a lidar com vários “possíveis cenários”, até levar a questão a “uma conclusão bem sucedida”. Dão assim a entender que não há acordos possíveis no lado de Sapkowski.

É uma situação triste para os fãs da série The Witcher. Esta disputa pode significar que a CD Projekt RED deixe de poder trabalhar com estas personagens e eventos, caso a acusação vá a bom porto. Por outro lado, pode também significar que Sapkowski apenas quer lucro fácil, sabendo que o timing é bastante suspeito, numa fase em que a produtora Polaca goza de sucesso e se prepara para lançar um novo grande título.

Para todos os efeitos, The Witcher, The Witcher II: Assassin of Kings e The Witcher III: The Wild Hunt constituem uma das melhores séries de jogos Role Play de todos os tempos. Só o último jogo foi um best-seller, ganhando reconhecimento, prémios e o direito a pertencer a vários tops de fãs e de tabelas de vendas. Mesmo Gwent: The Witcher Card Game, baseado no mesmo universo, tem sido um sucesso entre os entusiastas.

A haver dividendos em falta, não desfazendo do que foi contratado e o que foi (ou não) cumprido, convém esclarecer tudo, claro. Contudo, Andrzej Sapkowski deveria estar grato à CD Projekt RED por ter colocado os seus livros “no mapa”. Sem os jogos, é discutível se hoje conheceríamos Geralt de Rivia. O autor das obras literárias, em várias ocasiões, afirma exactamente o contrário, o que é, para muitos, uma demonstração de ingratidão.