Activision olha para a actualidade e para o futuro

306

Entre recordes e sucessos, é preciso também olhar para o futuro dos seus títulos.

Detentora e editora de alguns dos melhores jogos e franchises da actualidade, a Activision Blizzard apresentou os resultados do terceiro trimestre do ano fiscal que terminou em Dezembro de 2017. Aproveitou também para falar do futuro dos seus jogos.

Overwatch, Destiny 2 e Call of Duty WWII deram a esta editora e distribuidora recordes de vendas no passado ano. Se o primeiro é um fenómeno de popularidade, o segundo foi um dos jogos mais esperados, sendo o lançamento mais bem sucedido de sempre no PC. CoD WWII, por seu lado foi o enorme sucesso do fim de ano nas consolas.

O divertido shooter online da Blizzard obteve excelentes resultados no passado ano, sobretudo nos eSports, com a sua Overwatch League a ultrapassar os 10 milhões de espectadores. Na forja estarão mais personagens e eventos para manter o interesse. Curiosamente, apesar de sofrer um abrandamento, mais de 40 milhões de utilizadores jogam os títulos desta produtora, com Overwatch e Hearthstone a liderar a lista.

Noutro lado, Destiny 2 foi uma autêntica montanha-russa. Apesar de ter batido recordes de vendas no PC e nas consolas, o título da Bungie tem sofrido bastante pela falta de conteúdo interessante no chamado “end game”. Mantém-se, ainda assim, um jogo popular e que pode ainda recuperar algum terreno.

Mesmo com tantas melhorias pelo caminho, a editora reconhece que tem havido um abandono significativo de jogadores em Destiny 2, fruto da sensação de repetição e falta de recompensas pelas actividades. Como já sabemos, a produção está a trabalhar em melhorar o jogo, com uma nova época de conteúdo já em Maio e outra prevista lá para Setembro.

No que toca ao grande shooter da Segunda Guerra Mundial, a Sledgehammer Games está empenhada em manter o sucesso deste jogo, sobretudo nas consolas. Foi o maior lançamento da série em termos de vendas directas nesta geração de consolas, ultrapassando mesmo o anterior sucesso Black Ops III e chegou a ser o maior lançamento digital de todos os tempos na PlayStation.

O futuro desta série é, obviamente, muito importante para a Activision. Além de mais conteúdo previsto como expansão para COD WWII, a editora espera apresentar ainda neste ano um novo Call of Duty, desta vez pela mão da Treyarch. Muitos avançam que possa ser um novo Black Ops IV, exactamente porque é a sub-série a cargo desta produtora.

Entretanto, houve mais alguns sucessos vindos da Activision no passado ano além destes importantes IPs. Crash Bandicoot N. Sane Trilogy, por exemplo, foi a remasterização mais bem sucedida de sempre na PlayStation 4. StarCraft chegou até nós numa versão remasterizada e vimos o título clássico oferecido, reacendendo a chama deste fenómeno.

A empresa reportou 7.16 mil milhões de dólares em lucro durante o ano fiscal, estabelecendo um novo recorde interno. Curiosamente, mais de metade deste lucro não veio de vendas directas de jogos, mas sim de compras em jogo, conhecidas como micro-transacções. Opiniões à parte, é uma gigantesca fatia financeira.

4 mil milhões de dólares vieram destas compras digitais, metade vindas de um jogo tornado famoso nos dispositivos portáteis,  Candy Crush da empresa King detida pela Activision. A outra metade, como já devem calcular, veio das microtransacções contidas nos seus jogos de PC e consolas.

 

Com um todo, a Activision apresenta-se igualmente sólida na sua popularidade. Reporta mais de 55 milhões de jogadores simultâneos a jogar os seus títulos, com um crescimento de 12% desde o trimestre anterior. Em média, os jogadores passaram mais de 50 minutos por dia com um jogo da Activision. No vosso caso, foi mais? No nosso, foi de certeza.