Com a moda dos dispositivos com cabo a receberem a preferência dos jogadores, auscultadores Wireless parecem uma contradição. Contudo, o mercado de consolas privilegia esta tecnologia. O Thresher Ultimate 7.1 Wireless talvez mude opiniões.

A Razer é uma marca que aposta na melhoria de sistemas e tecnologia de modo a garantir a sua qualidade. O produto que vamos analisar hoje é um excelente exemplo dessa busca pelo melhor que esta marca já nos habituou. Com a popularidade dos jogos online, a qualidade dos auscultadores é uma prioridade para um gamer mais sério, mesmo nas consolas. Seja em jogos cooperativos, onde precisam de comunicar intensamente, ou em jogos competitivos, onde é necessário ouvir todo o tipo de sons e determinar a sua origem. Com isto em mente, a Razer pegou na sua experiência e criou os derradeiros auscultadores sem-fios para os gamers. Tendo já inúmeros auscultadores no seu catálogo, (Kraken, Tiamat ou Man’O War), porém, há que inovar a oferta.

Estes Thresher Ultimate que recebemos, deixam claro na sua caixa que são compatíveis com a PlayStation 4. Contudo, há também uma versão para Xbox One, onde mudam apenas as cores para condizer com os tons dominantes consolas. Ambos os modelos são igualmente compatíveis também com PC, através de ligação USB ou qualquer outro dispositivo que possua fibra óptica.

Em termos de design, este modelo possui uma banda superior extensível com um aro em metal para uma maior resistência. Infelizmente, não tem as conhecidas luzes Chroma, mas em contrapartida tem umas bandas coloridas para condizer com a vossa consola. Os earcups e a banda superior têm no interior uma espuma bastante confortável e há ainda uma particularidade que me deixou impressionado. Se têm seguido as nossas análises, sabem que indicamos sempre se os auscultadores são, ou não, confortáveis para quem usa óculos e neste modelo em específico existe um pequeno “recorte” escondido por baixo da napa em cada um dos lados, ideal para as hastes dos óculos. Bem pensado.

Sabendo que os jogadores passam horas a jogar, a Razer focou-se, assim, no seu conforto e ergonomia. Não há dúvidas que possuem dimensões consideráveis, mas apesar da sua robustez, pesam “apenas” 400g. A meu ver, considero suficiente para sentirmos que temos algo na cabeça, mas não o suficiente para incomodar. Tal como o modelo Man’ O War, o Thresher possui earcups maiores para cobrir toda a orelha, justificando o seu peso. Por outro lado, ajuda a isolar o ruído exterior e a criar uma sonoridade sem igual.

Em termos de performance e falando no geral, temos de falar da envolvência da tecnologia 7.1 Surround deste dispositivo. Os verdadeiros auscultadores surround devem ter várias colunas no seu interior. Caso contrário, o efeito direccional é criado artificialmente com a ajuda de emuladores electrónicos. Este modelo em questão está nesta última categoria, com apenas duas colunas de 50mm de diâmetro.

É discutível se a qualidade da envolvência é, de facto, diferente ou se as diferenças são meramente residuais. Como os earcups são capazes de cobrir toda a orelha, conseguem projectar electronicamente os sons de forma direccional, dando o efeito pretendido com fidelidade de 360º. Quanto a mim é o suficiente. Os puristas de som poderão dizer que não é a mesma experiência, no entanto, posso dizer-vos que a qualidade é bastante interessante e consegue criar com eficácia o sentido de direcção sonora, com uma profundidade impossível em jogos com auscultadores estéreo.

Como todos os auscultadores para gaming, contem com um microfone incorporado para todas as comunicações de voz. Sabendo que este microfone não tem cancelamento de ruído, logicamente não devem esperar uma qualidade de estúdio. No entanto, tendo em conta que a ligação é sem-fios, a captação da voz cumpre o seu objectivo de forma exemplar.

A ligação wireless, desta feita, não recorre à tecnologia Bluetooth. Dá uso a ondas de rádio com uma frequência de 2.4 GHz que liga directamente a à sua base, incluída com os auscultadores. Apesar de não ter sentido qualquer interferência, saibam que esta é a mesma frequência usada por routers wireless e também telefones sem fios. Portanto, se por acaso sentirem alguma interferência ou atraso na comunicação, verifiquem se não está nenhum destes dispositivos perto da base dos auscultadores.

Sendo wireless, a dúvida que surge imediatamente é sobre a sua autonomia. No entanto, neste campo não precisam de se preocupar. A Razer garantiu 16 horas de vida na bateria e, pelo que medimos, chegou mesmo a ultrapassar este valor. O carregamento completo dura apenas 4 horas e é feito através de USB, que podem ligar directamente à sua base.

Veredicto

Os Razer Thresher Ultimate 7.1 Wireless são, provavelmente, os melhores auscultadores que experimentámos até hoje para a PlayStation 4 (versão testada). São exemplares claros de que os vários anos de experiência da Razer na criação de produtos, a destacam da concorrência. E isto é notório, tanto na sua performance, como em pequenos detalhes como os encaixes para quem usa óculos. Será um bom motivo para dar uma chance ao Wireless, sabendo que a sua qualidade é acima da média. O seu único problema? Tem um preço elevado, que ronda os 250€.