Quando o Razer Naga original foi lançado em 2009, talvez o mundo não estivesse preparado para um rato tão avançado. Desde então, porém, tornou-se o produto mais icónico da Razer e até já foi alvo de copias por outros lados. A própria Razer já fez algumas melhorias e também algumas derivações, como é o caso deste Razer Naga Hex V2 que vamos analisar hoje.

O Naga Hex foi criado especialmente para os jogos do género MOBA. Substituí os 12 botões presentes na lateral do conhecido Naga por uma roda com 7 botões mecânicos, oferecendo maior eficiência enquanto jogam. Por outras palavras, podem praticamente usar uma mão para segurar o queixo, enquanto a outra domina o League of Legends de forma independente e com pouco recurso ao teclado.

Pesando uns meros 135g, o Naga Hex V2 é maior que a versão anterior. O corpo foi emprestado do Naga Epic, possuindo uma área mais elevada para a palma da mão e uma pequena plataforma do lado direito, especifica para assentar o dedo anelar e mindinho.

Do lado esquerdo, a grelha de botões foi redesenhada, posicionando-os de forma inteligente. Se repararem, através da imagem acima, os números têm uma ordem diferente do habitual. A fila de cima tem “1-2-3” e a de baixo “4-5-6-7”. Parece confuso à primeira vista, mas com um pouco de prática acabamos por nos habituar.

Para ser franco, o design funciona muito melhor do que pensei inicialmente. No centro destes botões adicionais, existe uma borracha que ajuda a ter o polegar no lugar e não pressionei uma única vez nos botões por acidente. Algumas horas depois da primeira utilização já conhecia a posição dos botões, mesmo com a tal ordem numérica imposta pela Razer.

Na parte inferior, o Naga Hex revela um Laser 5G de tecnologia proprietária da Razer. É capaz de 16,000 DPI e 210 IPS, o que tornam este rato bastante rápido e sensível. Os elevados DPI são ideais para quem usa uma resolução elevada do ambiente de trabalho ou de jogo ou ainda para quem tem uma configuração com vários monitores.

O Naga Hex V2 liga-se através do protocolo USB 2.0 com um cabo de 2 metros. O suficiente para ligar à torre e ainda ter espaço para mexer o rato livremente. Sendo a ligação por USB, significa que não há qualquer interferência ou atraso, problemas normalmente conhecidos das ligações sem fios.

No campo de batalha, o rato provou ser uma arma essencial para qualquer género. Em shooters, os botões adicionais e sem qualquer pré-configuração, ficam responsáveis pela troca de armas. Nos MOBA, a história é outra e felizmente existem perfis pré-definidos que ajudam na sua configuração. Eu não sou muito experiente neste género, mas sei que não existem filas e filas de habilidades para pré-definir, como no casos dos MMO. Na verdade, foram precisos só uns quatro ou cinco botões para activar todas as habilidades, deixando a mão esquerda praticamente sem uso.

Se já usaram um rato da Razer, já têm uma ideia do que este Naga é capaz de fazer ao nível da personalização. Tal como os recentes modelos DeathAdder ou Mamba, o Hex V2 permite configurar as suas cores e todas as funcionalidades através do Razer Synapse.

Este software é responsável por personalizar o rato ao vosso gosto com um total de 16 milhões de cores, com efeitos para todos os gostos. Contudo, este é o seu uso mais simples do Synapse. Se se dedicarem, podem configurar a sensibilidade do rato e mapear cada botão com teclas e combinações. Há ainda opções que permitem uma segunda acção para quando os botões são premidos durante algum tempo. As possibilidades são enormes.

Veredicto

O único problema que encontro no Razer Naga Hex V2 é que a maior parte das pessoas não precisa de um rato assim, com tantas teclas disponíveis. Contudo, aqueles que procuram algo deste calibre, encontrarão aqui um rato que irá, sem dúvida, melhorar a prestação em jogo. Não só porque é muito personalizável como possui tecnologia muito competente. Oferece exactamente o que é descrito pela marca e provou ser uma arma essencial para qualquer campo de batalha, seja MOBA, Shooter ou um simples jogo de aventura.