O rato Naga é o produto mais icónico da Razer. Pode dizer-se até que foi este modelo que começou com o conceito de ratos dedicados a RPGs e, claro, todos os outros géneros derivados. O primeiro Naga surgiu no mesmo ano em que o Minecraft foi criado e a incompreendida PSPGo foi lançada, curiosamente. O mundo não estava preparado para um rato deste calibre com 12 botões ao alcance de um dedo, mais outros 5 botões para manter os restantes ocupados. Por outras palavras, podiam usar uma mão para segurar o queixo, enquanto a outra jogava Diablo sem qualquer problema e de forma independente.

O potencial do Naga não passou despercebido e rapidamente viajou pelo mundo na boca de todos os gamers que o experimentavam. Ainda recentemente, a Razer tem vindo a melhorar o seu produto mediante o feedback de jogadores e análises que vão sendo publicadas.
Hoje, temos aqui a sua quinta geração, agora na linha Chroma, com todo o potencial do super rato sem fios e ainda com a possibilidade de personalizar as cores ao nosso gosto, tanto nos botões como na roda de scroll.

Como tem vindo a ser hábito, vamos começar por observar o seu design. Todo o rato tem um acabamento matte, ideal para esconder as nossas impressões digitais e, claro, para dar melhor aderência. Houve uma geração que tinha um revestimento em borracha, mas com o tempo começava a deteriorar-se e a Razer acabou por deixar de lado esse material. O mesmo aconteceu com os dois botões que estavam presentes no rebordo do lado esquerdo. A posição, como devem calcular, não era de todo confortável e a Razer acabou por colocar os botões atrás da roda de scroll.
Do lado direito existe ainda uma base para pousar o dedo anelar. À primeira vista parece algo dispensável, pelo menos foi o que pensei imediatamente, mas não podia estar mais enganado. Toda a mão assenta sobre o rato, numa posição muito confortável e se não existisse esta base de repouso, o dedo anelar acabava por forçar a nossa mão a inclinar-se para a direita.

A base para recarregar o Naga, que passarei a chamar doca daqui em diante, possui um íman para segurar o rato na posição correcta. Foi com grande surpresa que descobri esta “funcionalidade” no unboxing. Melhor ainda é a borracha presente na parte inferior da doca que, de certa forma, cola à secretária e não deixa que a doca se mexa, ideal para quando colocamos/retiramos o rato da base.

Caso fiquem sem bateria enquanto estão a jogar, vão gostar de saber que podem ligar o cabo USB directamente ao rato. Desta forma, o Naga assume a forma de um tradicional rato com fios, sem quaisquer problemas de carga, e também ideal para quando a bateria começar a dar sinais de muito uso (leia-se “viciada”).

Os botões podem ser todos personalizados através do Razer Synapse com grande facilidade e permitem ainda definir várias configurações de controlo através de perfis graváveis, possibilitando a troca sem grande transtorno e com a maior das facilidades. Os perfis podem ainda ser atribuídos a um programa específico e activados automaticamente. Tudo isto, torna o Naga, não só prático para jogadores, mas também excelente para qualquer utilizador que dê um uso mais profissional no dia-a-dia com programas como o Photoshop, por exemplo.
Todos os 12 botões, presentes na lateral do Naga, são de fácil acesso. Do um ao nove podem ser carregados com a falange distal (parte superior) do polegar enquanto que os últimos três podem (e devem) ser pressionados com a falange proximal (parte inferior).
Com tantos botões, é necessário algum tempo de habituação, especialmente em jogos onde nem sempre temos tempo para pensar no que estamos a fazer e muito menos olhar para onde estamos a carregar. Ao início era necessário reflectir sobre os botões que teria de pressionar, mas rapidamente tudo se tornou intuitivo.

Ainda no Razer Synapse, é possível configurar os DPI do rato até um máximo de 8200, a aceleração do cursor e ainda o Polling Rate. Para quem não sabe, o Polling Rate é a velocidade com que o rato envia informação para o computador. É medida em Hertz e 1000Hz equivalem a 1ms de tempo de resposta. Quanto mais rápido for o Polling Rate, menos lag (latência ou tempo de resposta) irão sentir nos movimentos no rato. Contudo, é preciso ter em atenção que se optarem pelos 1000hz, começam também a tirar partido do vosso processador. No caso de usarem um PC mais fraco ou um portátil, recomendo que fiquem pelos 500Hz, para não afectar a vossa performance geral do computador.

Veredicto

Não é por mero acaso que a Razer é a líder de periféricos dedicados a gaming. A marca tem grande cuidado nos seus produtos, nas suas embalagens e está sempre atenta à sua comunidade, não só para corrigir problemas nos seus produtos, mas também para dar o melhor suporte. O Naga, por exemplo, é um rato apenas para destros mas, através de uma votação, a Razer percebeu que não pode desprezar a minoria e irá criar um Naga dedicado a canhotos.
Confesso que foi a primeira vez que usei um Naga e recomendo a todos os fãs de RPGs e MOBAs. Acreditem que vai dar imenso jeito e, sem qualquer dúvida, melhorar a vossa prestação em jogo. Contudo, se o vosso gosto pende mais para First Person Shooters, então eu recomendo o Razer DeathAdder. O Razer Naga Epic, sai do WASD com nota máxima.