A Razer criou a nova linha “X” para os seus teclados do modelo Viúva Negra, com um visual minimalista onde as teclas estão completamente expostas. O Razer Blackwidow X Chroma consegue uma maior durabilidade dos seus switches mecânicos e adiciona alguns novos efeitos Chroma. Mas supera o modelo original? Continuem a ler para descobrir. 

Em termos visuais, o Blackwidow X é uma alternativa mais fina e elegante que o Blackwidow Chroma, o actual topo de gama da Razer. Ambos têm um preço semelhante, as mesmas funcionalidades base e a mesma tecnologia Chroma. Contudo, a principal diferença entre os modelos está na “cobertura” do teclado. Os típicos teclados possuem as bases das teclas no interior do corpo do teclado. Neste caso específico, as teclas estão totalmente expostas. E esta base, que segundo a Razer é construída com um “metal de classe militar”, oferece um design mais moderno e único. Isto também significa que as teclas ficam uns milímetros mais altas em relação a onde as mãos se apoiam. Requer algum hábito, como se tivéssemos mudado de modelo ou de marca.

Desde o modelo de 2014, a Razer tem usado os seus switches proprietários para as teclas, Neste caso, porém, a sua durabilidade foi aumentada para 80 milhões de cliques, o que fornece quase o dobro do tempo de vida de outros dispositivos presentes no mercado. Além disso, usam um conjunto optimizado de pontos de actuação e libertação, o que permite uma reacção mais rápida para os jogadores. As teclas em si, possuem o tal plástico característico que resiste às marcas de impressões digitais e que a marca usa em todos os seus teclados mecânicos.

Outra diferença visível, talvez para diminuir o seu tamanho, é a ausência das teclas de macro, que existiam anteriormente na lateral esquerda do Blackwidow Chroma. Contudo, é possível registar macros com as teclas presentes (já explico), apenas não terão teclas dedicadas para tal. E ainda para manter o design de menores dimensões, a Razer retirou a base dos pulsos. Para mim é uma remoção sem nexo, uma vez que, passado algumas horas de uso, deixa de ser confortável usar o teclado.

Sem as tais teclas dedicadas para macro, o Blackwidow X depende de combinações nas teclas de escrita ou numéricas para atalhos e outros controlos. Com a ajuda da tecla de função terão os controlos multimédia desde o F1 até ao F7. O F9 fica responsável por gravar macros, se preferirem não usar o software proprietário da marca. O F10 fica responsável por ligar o Gaming Mode, que desliga as teclas que podem levar acidentalmente a fechar o jogo. As F11 e F12 controlam o brilho dos LEDs e, por fim, a tecla Pause coloca o teclado em sleep mode.

Tal como os restantes produtos da Razer, o Razer Synapse é necessário para tirar total partido do periférico. O teclado não guarda as definições nem os vários perfis internamente precisando de gravar as definições num PC. Esse trabalho fica responsável pelo já mencionado software proprietário da Razer que guarda tudo na cloud.

Com este Synapse é possível personalizar toda a iluminação, editar/gravar macros e controlar todo o vosso teclado. Muitas pessoas ficam descontentes com o sofware, porque existem vários produtos que registam todas as definições no seu interior sem a necessidade de software adicional, além de haverem alguns conflitos assinaláveis com outros programas. Contudo, se derem uma oportunidade ao Razer Synapse vão perceber todo o potencial deste software.

Como o nome indica, também este modelo possui a conhecida tecnologia Chroma, o nome que a marca dá à possibilidade de escolherem entre 16 milhões de cores diferentes para personalizar os seus produtos. O BlackWidow X tem LEDs individuais para cada tecla, como também o logótipo presente na frente do teclado. E como não tem a tal cobertura que falei anteriormente, a iluminação espalha-se mais pelo teclado do que em outros modelos, criando um efeito um pouco mais apelativo. Com o Razer Synapse, podem controlar toda esta iluminação. Por defeito, vem configurado na cor verde da marca, mas podem até misturar várias cores ou usar um dos mais variados efeitos:

  • Breathing” onde as luzes pulsam com diferentes intensidades
  • Reactive” que faz as teclas acenderem quando se carregam nelas e pode ser encadeado com outras opções com o mesmo efeito
  • Ripple“, mostrado no nosso unboxing, simula um efeito de uma gota e acende as luzes em redor
  • Spectrum Cycling” onde as luzes trocam de cor aleatoriamente
  • Wave” capaz de criar uma onda de cor que percorre o teclado da esquerda para a direita ou vice versa
  • Starlight” onde as teclas acendem num padrão aleatório para simular o efeito de estrelas

Veredicto

O Blackwidow X Chroma tem uma qualidade acima da média e tem um design muito atractivo. As suas teclas oferecem uma sensação de toque bastante boa, mas um descanso para os pulsos era necessário para quem está mais horas em frente ao computador. Infelizmente, ainda não foi desta que a Razer adicionou o layout português e continuamos a não ter as nossa teclas únicas. Respondendo à questão inicial, O Blackwidow X Chroma não é melhor que o modelo topo de gama da marca. Contudo, é um pouco mais acessível, com um preço a rondar os 190€. E para os que preferem poupar ainda mais sem perder a qualidade do modelo, podem optar pelo Razer BlackWidow X Tournament, um teclado 10keyless (sem o teclado numérico), que custa 120€.