Não se deixem enganar pelo aspecto minimalista do novo teclado da Cooler Master. O Quick Fire Rapid-i está equipado com mecanismo Cherry MX, um processador ARM para efeitos de iluminação nunca antes visto e ainda a possibilidade de iluminar teclas específicas… As W A S D, por exemplo! 

Apesar do seu design simples, este teclado é dos modelos mais ergonómicos da Cooler Master, pelo simples facto de não possuir o Numpad à direita. Não falo da ergonomia do teclado em si, mas na postura que oferece quando estamos a usá-lo em conjunto com um rato. Por não possuir o Numpad (formato normalmente chamado de 10keyless) não ficamos mal posicionados com os braços, muito afastados do corpo, e temos uma postura mais correcta, com ambos os cotovelos perto do corpo. 

Falando sobre o design em si, o Quick Fire possui um design minimalista. Não tem teclas a mais, nem a menos. Em largura não chega a 40cm, o que o torna ideal para meter dentro de uma mochila e partir para uma LAN. A ligação é feita por um cabo destacável com uma ficha micro-USB. Houve algum receio que algum encontrão pudesse desligar o cabo por acidente, mas nunca aconteceu. O cabo fica ligado firmemente e por ser destacável, permite-nos trocar por outro. Isto caso seja necessário, por exemplo, um mais comprido. 

Este teclado é o primeiro mecânico com Layout português da Cooler Master e vem equipado com as teclas castanhas Cherry MX, querendo dizer com isto que possuem uma excelente resposta táctil sem grande pressão, mas são muito barulhentas, principalmente quando estamos a escrever.
Incluído com o teclado vem também o acessório para remover as teclas, caso queriam substitui-las ou simplesmente limpá-las.

O “i” no seu título não é por acaso e serve para designar que tem funcionalidades de iluminação específicas. É aqui que este teclado mais se destaca… Permitam-me o trocadilho: É onde ele mais brilha. Cada tecla possui um LED de alto-brilho dedicado, proporcionando uma iluminação perfeita em todas as teclas. Tem 5 níveis de brilho e mais 5 modos de iluminação: Tudo ligado; Pulsar; Apenas WASD e cursor ligados; Acender as teclas quando são pressionadas; Ligar teclas quando são pressionadas, mas com desvanecimento quando largadas. Este último deixou-me fã do Quick Fire. Como podem ver no unboxing, este modo causa um efeito de “arrastamento” nas teclas, possível devido ao seu processador ARM que fica responsável por este trabalho e sem qualquer software.

Podem ainda definir teclas específicas para ficarem iluminadas e podem guardar a vossa definição em mais quatro modos. Para registar as teclas que desejam é muito simples: carregando numa das teclas M1-M4 (Equivalente a F9-F12), o teclado activa o modo de registo de teclas, depois de carregarem nas teclas desejadas, basta carregar novamente na tecla M1-M4 para memorizar.

Este teclado não tem forma de registar macros, o que pode ser um factor contra para muitos jogadores, mas tem uma funcionalidade que normalmente não se vê noutros teclados, por exemplo o controlo de velocidade em que as teclas podem ser repetidas.
Esta funcionalidade também está presente no Octane, mas aqui podemos controlar especificamente quantas repetições queremos quando se fica a pressionar uma tecla. A opção máxima é capaz de repetir a tecla pressionada 8 vezes, mal seja pressionada. 

Veredicto

À primeira vista o Quick Fire Rapid-i pode parecer um teclado banal. O seu design é simples, não é arrojado e passa despercebido entre os demais. O preço é um pouco elevado, começando nos 100€, mas se procuram um teclado mecânico com grandes efeitos de iluminação e o preço não for problema, vão encontrar um excelente teclado e ao mesmo tempo uma forma de melhorar a vossa postura enquanto jogam.