Expectativas da E3 2018

308

As mais esperada conferências, o que esperar ao nível de jogos e de hardware.

Todos os anos fazemos planos para assistir à Electronic Entertainment Expo. Mais conhecida com E3, é a maior feira de entretenimento do mundo, local privilegiado para revelações, novidades e surpresas. E este ano não será uma excepção.

Compilámos um resumo sucinto do que podemos esperar desta feira E3 nas suas principais conferências e eventos. Daremos especial destaque a revelações que já foram confirmadas pelas principais produtoras e editoras, evitando, tanto quanto possível os rumores e notícias não confirmadas. Obviamente, na boa tradição da E3, haverá espaço para alterações e mesmo alguns anúncios inesperados.

Consultem aqui o programa de todas as conferências com todos os horários.

Uma vez mais a Electronic Arts descarta-se da E3 quase por completo para realizar o seu próprio evento, o EA Play. E tem muito para falar neste ano. Além das suas séries de longa data da EA Sports, como FIFA, Madden ou NHL, terá também muito para falar sobre o próximo Battlefield V. Contudo, a maior expectativa vai para Anthem da Bioware que deverá deslumbrar meio mundo na sua apresentação ao mundo.

Muitos esperam também que o próximo jogo de Star Wars da Respawn Entertainment faça a sua aparição, depois de anos em segredo, com muitos rumores e poucas confirmações. E, já agora que falamos de Star Wars, digam lá o que vai acontecer a Star Wars Battlefront II e Star Wars: The Old Republic.

Com a consola mais potente do mercado à solta, a Microsoft tem estado algo comedida a trazer novos títulos que puxem pelo potencial da Xbox One X. Tudo isso pode mudar a partir desta E3. O fim da trilogia de Master Chief da 343 Industries já está atrasado e Halo 6 pode ser, finalmente, anunciado. Um novo Gears of War pode também ser revelado e até um novo Fable. Contudo, todos querem saber por onde anda Crackdown 3 e como está Forza Horizon 4, ambos previstos para este ano.

No que toca ao hardware, a Microsoft deverá mostrar algo novo no que toca ao muito comentado e nunca visto Elite Controller. E onde está a sua aposta no VR ou na realidade aumentada com o Microsoft Hololens? Talvez tenhamos novidades de peso na sua conferência. Minecraft com realidade aumentada? Sim, por favor!

Os únicos novos jogos que sabemos que irão estar presentes nesta conferência são Fallout 76 e Rage 2. E mesmo destes jogos, pouco foi mostrado até agora. O secretismo em volta desta conferência é gigante. As promoções desta conferência mostraram o passado recente das franquias mais famosas desta produtora. Será que vamos ter um novo The Elder Scrolls? Será que há sequelas planeadas para os reboots de DOOM, Wolfenstein ou Prey? É tudo uma incógnita.

The Elders Scrolls Online deverá ter algum destaque com base nas suas constantes expansões, assim como um suporte contínuo para Quake Champions. De notar que muitos jogos desta produtora estão a ser portados para a Nintendo Switch, havendo talvez mais alguns anúncios de planos futuros neste sentido.

Não há volta a dar. Nesta conferência a Square Enix tem de falar de Final Fantasy VII Remake. Já se passaram meses e meses desde a última actualização e recordamos que o jogo esteve anunciado oficiosamente para 2017. Como já sabemos que este jogo será lançado por episódios, não nos admirávamos que a produtora anunciasse o lançamento até ao final deste ano de um primeiro capítulo.

Jogos que estão já no horizonte serão com certeza destacados. Entre eles, o muito esperado fim da nova trilogia de Lara Croft com Shadow Of The Tomb Raider e o divertido e promissor Kingdom Hearts 3. Quem sabe se a Square não tem algo mais preparado para anunciar. Que tal um novo Deus Ex? Pensem nisso.

A produtora e editora Francesa não pode ser acusada de falta de ambição. Tem vindo a lançar grandes sucessos uns atrás dos outros e não quer baixar os braços. Em destaque, já sabemos que estará o novo Assassin’s Creed: Odyssey e também The Crew 2. Esperamos ainda que seja mencionado o que aí virá em Tom Clancy’s The Division 2 e mais alguns detalhes do estado de Beyond Good & Evil 2.

No entanto, o que mais tem causado expectativa é o que não tem sido falado. Sim, Skull & Bones foi adiado, pelo que só deverá aparecer para dizer que está vivo. Agora, onde está um novo Splinter Cell? Já começa a tardar. Prevemos ainda que a Ubisoft volte a apresentar alguma aposta nos jogos familiares, como a franquia Just Dance, por exemplo.

A gigante nipónica goza de uma enorme popularidade nos dias que correm. Este ano já lançaram 3 grandes títulos e parece que não querem ficar por aqui. Na forja estão jogos como o incontornável The Last of US Part 2, Spider-Man, Ghost of Tsushima e o enigmático Death Stranding de Hideo Kojima. Estes jogos, pelo menos, deverão fazer a sua aparição, talvez com mais umas novidades de terceiros pelo meio. Não devem haver muitas surpresas no que toca a jogos de produção interna, mas nunca se sabe.

Também o hardware deverá ter o seu devido destaque. Apesar de ter sido anunciado que a PS4 estaria prestes a terminar o seu ciclo de vida, a PS4 Pro ainda é a consola bandeira da marca. Contudo, parece que uma PlayStation 5 pode estar já nos primórdios da sua génese e pode ser que tenhamos um primeiro anúncio. E não nos podemos esquecer da forte aposta no PlayStation VR, talvez com novos jogos e até algum modelo novo do dispositivo.

A Big-N está em grande com o sucesso esmagador da Nintendo Switch. Tantos jogos já chegaram à consola, sejam de produção interna, sejam de terceiros. A expectativa de um novo Smash Bros. é enorme, sendo uma franquia muito desejada pelos fãs. Anunciadas forma também aventuras de Kirby e Yoshi, assim como Metroid Prime 4 já anunciado e um novo jogo RPG baseado na série Pokémon.

No hardware, é de prever que a oferta do Nintendo Labo se expanda e que os novos modelos do Joy-Con sejam finalmente revelados. Estamos também muito curiosos por ver o que será o futuro da família 3DS, agora que a Switch parece tornar-se a consola mais apetecível. O que vai acontecer à consola portátil da Nintendo? Um novo modelo? Fim de produção? Esperemos que não.