Com a chegada da versão unificadora 2.5 do Digital Combat Simulator (mais conhecido como DCS World), abriu-se o caminho para nos chegarem novos e mais desafiantes módulos. O F/A-18C Hornet chegou até nós em acesso antecipado, trazendo consigo o novo mapa do Golfo Pérsico. Contamos como foi a nossa experiência nestes dois módulos.

Nesta segunda parte, vamos focar-nos no mapa do Golfo Pérsico.
Leiam aqui as nossas impressões sobre o F/A-18C Hornet.

Além do excelente e diversificado mapa gratuito da região do Cáucaso, que inclui partes dos países da Rússia, Geórgia e Turquia, o DCS World inclui também mapas adicionais pagos. O primeiro a ser lançado foi o da região de testes do Nevada, EUA (NTTR), seguindo-se o mapa para as operações na Segunda Guerra Mundial situado na Normandia. Desde há algum tempo que a ED tem falado de um novo mapa na região do Golfo Pérsico. Este inclui uma porção do Irão, Emirados Árabes Unidos e Oman, onde se destaca a mítica região do Dubai. Já sabemos que há outros mapas em desenvolvimento para o DCS, com destaque para Síria também nesta região. Quanto maior diversidade para as operações que criamos, melhor. Mas, o que trará este mapa?

Todo o cenário recria a região do chamado Estreito de Hormuz e os países que o rodeiam. Esta é uma região politicamente tensa com águas muito disputadas e onde já houveram confrontos e incidentes marítimos e aéreos entre as forças do Irão e da NATO. Assim sendo, é uma região muito interessante para combates navais, simulando operações marítimas de patrulha costeira, com possíveis incursões para bombardeamentos em longa distância e outras possibilidades. Tanto o nosso Hornet com seu CVN-74, como o Harrier com o seu LHA-1 Tarawa, possuem aqui muito mar para missões marítimas.

De uma forma simplista, diria que este mapa acaba por parecer uma conjugação inteligente das mais valias dos demais mapas que já temos no DCS World. Possui as áreas desérticas e desprovidas de demasiados elementos do Nevada e a vastidão de mar que permite muito combate naval que conhecemos da Normandia. Não tem a quantidade insana de árvores do Cáucaso, de facto, mas em algumas áreas tem uma vastidão de objectos igualmente grande, as cidades e povoações costeiras.

Também está pejado de aeródromos de diversas dimensões, de cariz civil ou militar. A distância entre o Irão e os EAU é de cerca de 30 milhas (aproximadamente, 55 km), o que permite incursões de média distância a partir de bases terrestres. A predominância é claramente de mar, com diversas ilhas no largo do Dubai, inclusive as famosas ilhas artificiais deste opulento país. Mas, também temos diversas cidades gigantes modeladas, com especial destaque óbvio para a região do Dubai recriada com muito pormenor e para a região de Bandar Abbas no Sul do Irão, também com uma grande cidade repleta de imensos edifícios e complexos fabris.

No norte dos Emirados, há uma região que oferece alguma variedade com montanhas e vales. A base aérea nesta região de Khasab é a nossa área preferida para voar, oferecendo um desafio curioso se viermos de Sul. Contudo, todo o resto do mapa é francamente plano. Fora das cidades é bastante desértico, fazendo recordar um pouco a áreas remotas de testes nucleares do Nevada. Penso que o seu maior trunfo é mesmo essa vastidão de mar que já mencionei. É perfeita para operações com porta-aviões e porta-helicópteros.

Em termos de detalhe, já falei das cidades com um elevado número de prédios e de objectos, numa recriação fiel das paisagens desta região. Uma vez mais, a produção recorreu a imagens de satélite para referência, que até oferecem visualização da batimetria (profundidade da água). Muito do Dubai foi conquistado ao mar, com as ilhas artificiais e canais e linhas de costa escavados, e isso fica bem visível nos efeitos de fundo do mar que podemos ver em altitude. É de assinalar o salto de qualidade que os cenários deram desde a versão 1.5. Há muito maior detalhe nas estradas, caminhos, edifícios, pistas e a excelente iluminação nocturna adiciona autenticidade a estes palcos da nossa acção.

De um modo geral, por causa dos desertos e mares vastos, acaba por ser bastante leve para o vosso PC. Nesta versão experimental, porém, notei que ainda precisa de alguma optimização de performance em zonas mais densas em objectos. Quem já experimentou a versão 2.5 já sabe que é bem mais exigente para os PCs, pedindo mais da placa gráfica e da RAM disponível. Se quiserem um termo comparativo, diria que este mapa não é mais pesado que o Cáucaso, conseguindo performances ao mesmo nível. Como é lógico, isto é variável se adicionarem muitos objectos, meteorologia e efeitos visuais à mistura.

Tão desértico como o Nevada, com um mar tão vasto como na Normandia, certamente mais árido que o Cáucaso, o mapa do Golfo Pérsico é uma adição importante como palco para os combates aéreos (e não só) do DCS World. Tem toda a relevância política e estratégico-militar para um simulador de combate aéreo, que sempre soube dividir-se entre as operações de veículos NATO e do resto do mundo. E este mapa é bastante relevante para os combates virtuais neste simulador. Já consigo antever um combate entre o F-18 da USN contra um F-14 da IRIAF, por exemplo.

Valerá bem a espera, quando este mapa for lançado em acesso antecipado, previsto para meados mês de Junho, depois do lançamento do F-18 Hornet. É compra acertada, nem que seja para quebrar a repetição do Cáucaso. E se houver um bundle posterior com o F-18 Hornet ou com o F-14 Tomcat, não hesitem, é o palco perfeito para operação de aviação de Marinha. Obviamente, todos os outros aparelhos estão “convidados” através dos aeródromos presentes. Apenas esperem cruzar muito mar ou muita areia de deserto para chegar aos objectivos.

Este software foi testado através de uma versão experimental em acesso antecipado, e foi gentilmente cedido pela Eagle Dynamics. Sendo uma versão experimental, muitas das características, bugs, erros ou faltas assinalados poderão sofrer alterações até ao lançamento. As datas fornecidas, assim como previsões de produtos, foram dadas pelos produtores.

Se desejarem conhecer a pequena comunidade Portuguesa que treina e voa regularmente no DCS World, visitem a pagina DCS World – Portugal no Facebook e o canal de Discord deste grupo. Uma boa parte das imagens que usamos neste artigo foram criadas neste grupo.